Até Roberto fajuto faz fã desmaiar

Em Cachoeiro, mulher se emociona ao ver Hubert, do Casseta & Planeta, vestido como o ?Rei? e de calhambeque amarelo

Jotabê Medeiros, O Estadao de S.Paulo

17 de abril de 2009 | 00h00

Um trio elétrico percorre as ruas principais de Cachoeiro do Itapemirim tocando É Proibido Fumar, seguido por centenas de crianças de escolas primárias que os professores liberaram mais cedo - afinal de contas, é por uma boa causa, trata-se da Semana Roberto Carlos."Faltam três dias para o show", diz o relógio colocado na fachada do Palácio Bernardino Monteiro, sede da prefeitura de Cachoeiro. A cidade espera ansiosa a chegada do seu filho mais ilustre. Tão ansiosa que já começa até a ver miragens: na quarta-feira, o grupo de humoristas Casseta & Planeta gravava seu programa nas ruas da cidade, num açougue chamado Varejão das Carnes. Uma senhora, ao ver o humorista Hubert caracterizado como Roberto Carlos, dentro de um calhambeque amarelo, emocionou-se tanto que desmaiou ao tocá-lo.Toda a cidade respira os ares do reinado de Roberto. Praticamente todo o efetivo policial da cidade, cerca de 170 homens, foi convocado para fazer a segurança do show no Estádio do Sumaré, no domingo, que está com os ingressos esgotados. O cantor, que celebra 50 anos de carreira, tem três andares do hotel San Karlo à sua disposição, mas é pouco provável que ele durma no local. Outros hotéis têm andares inteiros reservados para sua entourage, músicos e assessores.Personagens esquecidos voltam a ser lembrados, como o compositor Raul Sampaio (codinome de Raul Cocco), hoje com 81 anos e vivendo na praia, em Marataízes. Ele é o autor da música Meu Pequeno Cachoeiro, gravada por Roberto em 1969. Outra personagem, que já está na cidade para o show, é a antiga professora de Roberto Carlos, a irmã Fausta de Jesus, de 86 anos, que lecionou para o artista no colégio Cristo Rei e confeccionou um medalhão de ouro que ele lhe pediu em 1968 - há dois anos, ele lhe pediu um menor e ela fez.A presença da corte de Roberto insufla os boatos. Todo mundo espera que ele faça uma nova visita "furtiva" ao Santuário de Aracuí, nas imediações, onde se venera uma imagem chamada pelos fiéis de Imaculada Esposa do Espírito Santo de Deus. Há três devotos da santa que juram que já a viram no local, a primeira uma moça de Muriaé (MG). Desde então, o local recebe mais de 3 mil visitantes por mês. Roberto Carlos esteve de fato no local em busca de cura para sua mulher Maria Rita, que enfrentava um câncer, em maio e agosto de 1999. No santuário, há uma nascente, cuja água é considerada milagrosa e é levada em frascos pelos devotos.Representantes da Defesa Civil Estadual e do Corpo de Bombeiros liberaram o Estádio do Sumaré, onde ocorrerá o show, para receber 12 mil pessoas no domingo. Parte da arquibancada do estádio tinha ruído havia algumas semanas e os reparos correram em regime de urgência nos últimos dias. Houve também problemas com a rede de fios de alta tensão do bairro, que sofreu um curto-circuito na tarde de quarta-feira. Além dos fãs, famosos como Ana Maria Braga e Hebe Camargo são aguardados na cidade. A renda do show, a exemplo do último que Roberto Carlos fez na cidade, há 14 anos, será revertida para uma instituição beneficente.DetalhesBAÚ: O porão da casa onde Roberto Carlos nasceu foi reformado e nele foi instalado um pequeno auditório, inaugurado anteontem. A idéia é promover pequenos shows para animar os visitantes (cerca de 40 por dia, até a semana passada, mas a visitação dobrou na Semana Roberto).COMUNHÃO: Roberto Carlos falou por telefone com sua ex-mentora, a irmã Fausta de Jesus, de 86 anos, logo após uma missa em sua homenagem na Catedral de São Pedro, aqui em Cachoeiro. "Já estou muito emocionado e sei que vou me emocionar ainda mais quando estiver aí. Agradeço por esse carinho", teria dito o cantor, segundo a religiosa.WC DE RC: Um antigo banheiro público no centro de Cachoeiro, na Praça Pedro Cuevas Júnior, foi demolido para abrir caminho para a instalação de um pequeno memorial-praça em homenagem ao cantor. O local terá uma placa com a inscrição: "Da Princesa ao Rei".CAMA & MESA: O restaurante Dom Tonico, único especializado em massas, abriu há seis anos e, como os outros da região, espera ansioso uma visita de Roberto Carlos. Nada é certo. A dona, Renata, diz que se lembra do último show dele. "Eu tinha 15 anos, fiquei morrendo de vergonha na fila para comprar ingressos. Adolescente, sabe como é? Tinha vergonha que me vissem na fila para show do Roberto", diverte-se hoje.OUTROS FILHOS: Jesse Valadão, ator, e Sérgio Sampaio, compositor, são outros filhos ilustres da cidade, pouco lembrados nos logradouros e nas conversas de bar. Mas Rubem Braga, o cronista, também da cidade, dá nome ao teatro da região, que não está com nenhum espetáculo em cartaz no momento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.