Ascensão e queda de uma superestrela da música

Para o poeta Jean Cocteau, a francesa Edith Piaf (1915-1963) foi "um símbolo dos românticos" que ainda sabiam "amar, sofrer e morrer". Para contar a história dolorosa dessa cantora, vinda do submundo parisiense e apelidada de Pequeno Pardal, Margaret Crosland entrevistou, entre outros, Charles Aznavour e Denise Gassion, irmã de Piaf. Suas pesquisas servem para desmentir boatos sobre a vida da cantora e contrastam com as autobiografias No Baile do Acaso e Minha Vida. Margaret mostra a conquista do estrelato, as influências, o alcoolismo e os turbulentos casos amorosos da artista. Traduzido por Marci Helaine, o volume traz uma lista com as canções gravadas pela intérprete..

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.