As reflexões de um filósofo sobre a arte de levar a vida

"Querer o menos possível e conhecer o mais possível foi a máxima que guiou a minha vida." Assim, Arthur Schopenhauer (1788-1860) resumiu sua postura filosófica, que procurou tornar menos difíceis a convivência com o outro e a orientação no mundo. Em 1821, ele começou a escrever um livro secreto - constituído por cerca de 30 páginas com anotações autobiográficas -, no qual registrou normas de conduta, máximas, citações e recordações. A seu pedido, o executor testamentário Willen von Gwinner deveria destruir esse material. Mas ele preferiu escrever uma biografia de Schopenhauer, usando os escritos do filósofo reunidos neste livro traduzido por Jair Barbosa e Silvana Cobucci Leite.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.