As 19 histórias de ''''Conspiração de Nuvens''''

ELZIRA: Reminiscências de infância, em que Lygia lembra-se de uma história contada pela mãe sobre uma tia-avó chamada Elzira, que morreu virgem depois que a família recusou que ela se casasse com um mulato.BOLAS DE SABÃO: Um dos testemunhos sobre o ato de escrever - a autora lembra-se de perguntas feitas pelos leitores a respeito do destino de diversos personagens.EU VOLTAREI!: A partir dessa enigmática frase pixada no muro do cemitério, Lygia reflete sobre os dramas do presente, época em que acredita ser nada propícia para o retorno dos mortos.MACHADO DE ASSIS: Reflexão sobre o genial escritor, cuja estátua Lygia costuma admirar quando freqüenta as sessões da Academia Brasileira de Letras, no Rio de Janeiro.FIM DE PRIMAVERA: Homenagem a Alfredo Mesquita, que a convidou a participar de uma de suas peças, Heffman, encenada por um grupo amador.A QUERMESSE: Lembrança de infância sobre uma feira em que sua mãe tomava conta de uma barraca.PAULO EMÍLIO: Perfil do intelectual, seu amado segundo marido, cujo talento no estudo do cinema não se distinguia do ficcionista.CONSPIRAÇÃO DE NUVENS: O texto que impulsionou o livro. Trata-se do relato de como os artistas repudiaram, a partir de um manifesto com mil assinaturas, a censura durante o governo do general Ernesto Geisel.O TREM: Um dos textos puramente ficcionais do volume, sobre a revelação de um assassinato durante uma viagem.SOLO DE CLARINETA: A partir do título da autobiografia de Erico Verissimo, a escritora relembra como conheceu o escritor gaúcho, em 1944, em São Paulo.PEDRA QUE CHORA: A partir de considerações sobre o mar, reflete sobre o Padre Anchieta.TUNÍSIA: Relato da viagem que fez ao país africano, ao lado de Paulo Emílio.ERA UMA NOITE FRIA: Ficção inspirada na solidão.O VISITANTE: Reflexão sobre o escrever, a partir de um interessado em escrever sua biografia.A FARDA: O tocante reencontro com o pai logo depois de sua formatura em Direito.O DIREITO DE NÃO AMAR: Ficção sobre como o ato de amar pode ser mortal.É CARNAVAL: Outro texto em que denuncia as mazelas nacionais, como a falta de educação e saúde adequadas.ÁLVARES DE AZEVEDO: Perfil do poeta romântico, um de seus escritores preferidos, aqui comparado a Castro Alves e Fagundes Varella.O CHAMADO: Mais um testemunho sobre o ato de escrever, revelando como nascem alguns de seus textos e personagens.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.