REUTERS/Carlos Jasso
REUTERS/Carlos Jasso

Artista mexicano Gabriel Orozco cria nova forma de exibição de suas pinturas

Forçado a confiar mais do que nunca em ferramentas como Zoom e Skype em uma série de projetos atuais, ele diz que vê uma transformação da criatividade nascida da pandemia global

Reuters, O Estado de S.Paulo

12 de outubro de 2020 | 13h32

CIDADE DO MÉXICO - Não houve abertura formal ou interação pessoal com os fãs. Em vez disso, Gabriel Orozco, artista mexicano com uma perspectiva que abrange todos os continentes, promoveu suas novas aquarelas com um teaser dramático.

Orozco criou as várias dezenas de obras enquanto estava em quarentena no Japão neste ano, mas supervisionou a instalação delas em uma galeria de alto padrão em Manhattan da maneira como milhões agora trabalham: virtualmente.

Em uma estreia para Orozco, a coleção  — contendo aquarelas e também pinturas abstratas maiores criadas principalmente no México —  foi inaugurada no mês passado sem uma abertura pública reluzente.

Não havia chance para admiradores ou críticos interagirem com o artista, conhecido por transformar itens comuns em floreios poéticos desde o início dos anos 1990.

Assim, suas novas pinturas foram divulgadas com um teaser astuto com música dramática. 

Forçado a confiar mais do que nunca em ferramentas como Zoom e Skype em uma série de projetos atuais, ele diz que vê uma transformação da criatividade nascida da pandemia global.

“Há a oportunidade, provavelmente, de uma nova geração emergir, uma nova maneira de trabalhar, uma forma alternativa de viver para todos a ser reconsiderada”, afirmou ele em sua casa na Cidade do México.

 

Tudo o que sabemos sobre:
pinturaquarentenaartes plásticas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.