Andy Garcia e Richard Gere, dois homens em conflito

Em 1990, Richard Gere já era um astro. Naquele ano, ele foi o príncipe encantado que transformou Julia Roberts na Linda Mulher e também o policial envolvido em corrupção (e investigado pela corregedoria) em Justiça Cega. O segundo é a atração de hoje do Telecine Action, às 19h55.Richard Gere cria um personagem sob medida - cínico, violento, sedutor. Com frieza, tenta desestabilizar a vida familiar e profissional do agente que investiga sua vida para Internal Affairs (o título original, que significa justamente Assuntos Internos, a Corregedoria de Polícia).Mike Figgis fez um filme que investe na violência sem perder a elegância. Gere, o astro, faz exatamente o tipo do galante sanguinário que se espera dele, mas é muito interessante ver o jovem Andy Garcia, há 17 anos, roubar-lhe a cena como o policial íntegro.A carreira de Andy Garcia meio que estacionou, embora ele faça participações interessantes - secundárias - na série iniciada por Onze Homens e Um Segredo. Sua luta contra o anti-herói de Gere virou um dos grandes problemas da vida moderna. A impunidade da polícia preocupa tanto quanto o crime organizado. O policial que mata a sangue-frio é um tipo repulsivo. Gere torna-o atraente, o que cria um problema moral para o espectador.

Luiz Carlos Merten, O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2020 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.