Alan Ladd foi o Galahad de Hollywood

Oito e dez da noite no Telecine Cult. Alan Ladd pega em armas contra os antigos cúmplices. O filme é A Marca Rubra, de Rudolf Maté, e o eterno Shane - da obra-prima Os Brutos também Amam, de George Stevens - faz impostor que bandoleiros usam como o filho desaparecido do rancheiro Charles Bickford, para tentar roubá-lo. Ladd, que nunca conheceu afeto nem respeito, vai frustrar os planos, ao receber ambos do falso pai (e da namorada). O ator possuía uma pureza facial que o tornou fora de série. Stevens dizia que ele era ?nosso Galahad?, ou seja, a versão norte-americana do cavaleiro da Távola Redonda. Grande fotógrafo, Maté foi um diretor médio, mas seus westerns, como este, não são destituídos de qualidades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.