Ritzau Scanpix/Ida Marie Odgaard via REUTERS
Ritzau Scanpix/Ida Marie Odgaard via REUTERS

Ai Weiwei receberá 230 mil euros de direito autoral da Volkswagen

A empresa usou indevidamente a imagem de uma obra do artista chinês Ai Weiwei em um comercial veiculado para mais de 200 mil pessoas

Redação, AFP

17 de julho de 2019 | 17h35

A Justiça dinamarquesa condenou uma concessionária da Volkswagen, nesta quarta-feira, 17, a pagar cerca de 230 mil euros (US$ 258 mil) ao artista chinês Ai Weiwei por ter usado uma de suas obras para fins publicitários sem sua autorização.

"O uso da obra por parte da SMC [a concessionária] constitui uma violação [...] das boas práticas de marketing enunciadas na lei sobre a publicidade", explicou em um comunicado o tribunal de Glostrup, na periferia de Copenhague.

Em 2017, em seu jornal e em sua página on-line, a SMC usou uma foto de um novo modelo do Polo estacionado na frente de uma obra de Ai Weiwei em Copenhague.

Para fazer sua obra, o artista dissidente de 61 anos pendurou nas janelas do museu de Charlottenborg 3.500 coletes salva-vidas de migrantes que chegaram à ilha de Lesbos entre 2015 e 2016.

A "exploração comercial da obra de Ai Weiwei era uma contradição flagrante das considerações e das ideias que sustentavam a obra", considerou o tribunal, apontando que este uso abusivo poderia prejudicar a reputação do artista.

A SMC foi condenada a pagar 1,5 milhão de coroas (200 mil euros, ou US$ 224 mil) por uso fraudulento, aos quais se somam 250 mil coroas (23.800 euros, ou US$ 26.600) por danos.

"O material errado foi distribuído para mais de 200 mil pessoas, dando a falsa impressão de que eu havia autorizado a Volskwagen a usar minha obra em sua publicidade para o novo Polo", declarou o artista em março no Instagram.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.