A voz da crítica

"Esse fragmento às vezes é atribuído a Shakespeare, mas não hoje em dia: já está na edição das apócrifas. É uma peça perdida. Nenhum texto de Cardenio pode ser atribuído a Shakespeare de maneira alguma, porque ninguém sabe ao certo como era a peça. Nas obras completas da Oxford Shakespeare, de Stanley Wells, há uma menção a Cardenio, mas é tudo muito vago. Não há nada que comprove a autenticidade do fragmento que supostamente serviu de base à peça Dupla Falsidade. Mas se um pesquisador de Harvard quer ser divertir e está disposto a investir dinheiro nisso, eu acho ótimo. Cada um brinca como quer e pode. Agora, só acho que Shakespeare não tem nada com isso. Não há base para provar autoria. Há muito tempo Cardenio entrou nessa briga (por autenticidade) e nunca se conseguiu provar nada. Quando não há mais nada a fazer, brincam com essas ideias."DEPOIMENTO DA CRÍTICA E TRADUTORA BÁRBARA HELIODORA À REPÓRTER BETH NÉSPOLITrecho da adaptação de Reinaldo MaiaLUISA - ... Nós recebemos um convite especial de Harvard para fazermos uma obra de Shakespeare! Uma obra que se encontrava perdida! ANSELMO E CAMILA - Lua de mel em Harvard! DORIS - Não sabia que Shakespeare tinha perdido uma obra. ALFRED - Bom, não é que ele perdeu... Ela se perdeu sozinha!DORIS - É... Os mapas da época também deviam ser muito confusos...ALFRED - Parece que foi montada na época, mas nunca foi impressa...LUISA -E então desapareceu...ALFRED - Como muitas outras obras na história que desapareceram... Pense nas obras de Sófocles. De 123 peças só sete ficaram. E até onde sabemos, muitas obras de Shakespeare podem ter se perdido. Mas Cardenio reapareceu no século 18... E depois sumiu de novo! LUISA - Recentemente foi descoberta por um pesquisador de Harvard... ALFRED - Bom, pesquisador do tipo...DORIS - Indiana Jones!LUISA - Uma espécie de...DORIS - Charlatão!ALFRED - Uma pessoa não exatamente... DORIS - Digna de confiança!(Rudi toca o tema de Indiana Jones na corneta).RUDI - Se é realmente uma obra de Shakespeare ou se ele apenas escreveu um pedaço, o certo é que o velho manuscrito desapareceu quando o antigo Convent Garden pegou fogo em 1804. Enfim, ninguém pode provar o quanto de Shakespeare existe nela!LUISA - Mas pelo menos a versão do charlatão sobreviveu.ALFRED (Para Anselmo) - E sua mãe e eu vamos filmá-la! Precisamos o quanto antes receber a segunda parcela que Harvard nos prometeu!LUISA - Mas, antes disso, decidimos fazer umas tomadas aqui com vocês!ANSELMO - Mãe! Eu odeio atores! Odeio o teatro! E além do mais, ninguém aqui é ator!ALFRED - Mas é disso que precisamos! Espontaneísmo! Este é o espírito da filmagem! É isso que nós queremos!LUISA - Anselmo! Participar de uma obra perdida de Shakespeare a pedido de Harvard é uma oportunidade única! Vocês vão ler uma obra perdida de Shakespeare! E nós vamos filmar esse roteiro!ANSELMO - Estávamos pensando em comer e beber, e talvez as pessoas queiram aproveitar que estão aqui e dar um pulo num shopping ou fazer um piquenique no Ibirapuera, não sei, mas não acho que alguém pensou que iriam ter de fazer uma obra!

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.