A trilha sonora de uma longa e simples amizade

Saudade do Cordão é o primeiro disco de Guinga e Paulo Sérgio Santos, parceiros há mais de 15 anos

Francisco Quinteiro Pires, O Estadao de S.Paulo

06 de maio de 2009 | 00h00

Guinga percebe "a música como um elo de amizade entre as pessoas". Fazia mais de 15 anos que ele e o clarinetista Paulo Sérgio Santos pretendiam gravar um CD. Mas a agenda lotada não permitia. Um dia, foi preciso Paulo Sérgio "sequestrar" o violonista no aeroporto - Guinga estava há mais de 50 dias fora de casa. E aí, de repente, um ensaio realizado por tantos anos resultou no disco e DVD Saudade do Cordão (Biscoito Fino), com 14 composições de Guinga e parceiros, escolhidas por Paulo Sérgio, responsável pelos arranjos. Saudade do Cordão, de Guinga e Pedro Carneiro, é a única obra inédita."Esse trabalho registra uma coisa que aconteceu naturalmente", diz o clarinetista. "Foi realizado sem efeitos espetaculares, apresenta a música pura, sem a intenção de causar um impacto estético." Paulo Sérgio diz que Guinga tem o dom de valorizar a sua capacidade de tocar. Quando se "internaram" num estúdio em Petrópolis, por mais de 20 dias, tocando das 9h à meia-noite, Guinga deu uma recomendação ao amigo. "Não tenha pudor de escolher e tocar o repertório, você tem uma técnica completamente diferente do Gabriele." Guinga se refere ao clarinetista italiano Gabriele Mirabassi, com quem gravou o CD Graffiando Vento (2004).O dois amigos se conheceram numa festa, no Jardim Botânico (Rio), para a qual o violonista Raphael Rabello convidou Guinga. As diferentes formações de Paulo Sérgio, que entrou para o Quinteto Villa Lobos em 1975, e Guinga, influenciado pela música suburbana do Rio, não se chocam. A explicação do clarinetista é a seguinte. "Guinga é classificado como popular, mas sua obra transcende essa classificação." Entre as 14 composições do CD, Saci (Guinga e Paulo César Pinheiro) é a única cantada. Lenine emprestou a voz. O baterista Jurim Moreira toca com o duo em Saci, Por Trás de Brás de Pina (parceria com Mauro Aguiar), Capital (com Simone Guimarães), O Côco do Côco (com Aldir) e Saudade do Cordão. A simplicidade e a emoção, marcas da amizade da dupla, também embalam Sete Estrelas (com Aldir), Cine Baronesa (Aldir), Di Menor (Celso Viáfora), Senhorinha (Paulo César Pinheiro), Porto de Madama e Cheio de Dedos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.