A refutação de teses que se tornaram consensuais

Como resultado teórico da prosperidade fordista dos anos 1950, a tese do fim das ideologias foi formulada por Henry Stuart Hughes, historiador da Harvard University. Essa formulação influenciaria a interpretação de Daniel Bell em O Fim da Ideologia (1959). Profetizava-se a superação das contradições sociais. Segundo Bell, acompanhado por Raymond Aron, a era da política e a luta de classes teriam chegado ao fim. Este livro de István Mészáros refuta essas teorias que se tornaram consenso. Originalmente publicado em 1986, Filosofia, Ideologia e Ciência Social chega à segunda edição. Nele, o filósofo húngaro preparou-se para escrever O Poder da Ideologia (1989) e Para Além do Capital (1995).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.