A mistura de raças forma a base literária brasileira

Movido pela vontade de estudar e sistematizar cientificamente o folclore nacional, o ensaísta sergipano Sílvio Romero (1851-1914) fez a compilação de contos populares brasileiros. Autor de Etnografia Brasileira, ele os organizou tendo em vista a busca de um caráter nacional baseado no princípio da mestiçagem entre europeus, indígenas e negros, que há quatro séculos se relacionam em território nacional, criando as origens da literatura de prosa e de poesia. Romero divide os agentes da literatura nacional em criadores e transformadores. Entre os primeiros, estão os negros, índios, brancos e mestiços. Com os segundos, estão os mestiços, eles próprios resultado de uma transformação racial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.