A História retorna com a perda das esperanças

Colunista do Washington Post, Robert Kagan fala de esperanças destruídas. Após o fim da Guerra Fria, cogitou-se uma nova ordem internacional pacífica. Mas o que se viu foi a competição feroz entre as grandes potências por honra e influência. Estados-nação continuam fortes, os nacionalismos não perderam força. Descartado o comunismo, Robert Kagan observa a competição entre liberalismo e autocracias como Rússia e China. A ideologia voltou à baila na geopolítica. Baseado no artigo End of Dreams, Return of History, publicado em Policy Review, O Retorno da História expõe os desafios que os países liberais e democráticos precisam enfrentar se quiserem conduzir os rumos da História.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.