À francesa

De fora: sete companhias francesas participam desta edição da Virada. [br]Lá fora: a maioria delas se apresenta em espaços abertos - ou na rua

, O Estadao de S.Paulo

30 de abril de 2009 | 00h00

A quinta edição Virada Cultural terá sotaque francês. Com o Ano da França no Brasil, que começou oficialmente no feriado de Tiradentes, um pacote de atrações foi devidamente importado de lá. Sete grandes companhias vão ocupar a cidade com de teatro de rua, performances e intervenções. ''Nunca houve uma concentração tão grande desse tipo de arte fora da França'', afirma o adido cultural do Consulado Francês em São Paulo, Philippe Ariagno. Para ele, a Virada é o ponto alto do intercâmbio cultural entre Brasil e França que acontece neste ano. Ariagno montou a programação em parceria com Jean-Marie Songy, diretor do Festival d?Aurillac, o maior evento de teatro de rua francês. Ainda na sexta-feira (1º), às 22h, uma première da Companhia Carabosse vai iluminar o Jardim da Luz com seu show de fogo e música, ?Installation de Feu?. No sábado, para a abertura, haverá um concerto de sirenes (?Le Chant des Sirènes?) da Companhia Mécanique Vivante, na Praça do Patriarca.Mass Ensemble, com uma harpa sobre um edifício, Les Souffleurs Commandos Poétiques, com poesias na Catedral da Sé, e Les Piétons, com o espetáculo ?Rue de L?Attribut?, são outros destaques vindos diretamente do velho mundo.O Sesc Pompeia, com o tema ?Paris é uma festa!?, também reúne uma programação especial para homenagear a França das vanguardas, da intelectualidade e dos cabarés dos séculos 19 e 20 - para você sentir, em São Paulo, um pouco glamour das noites no Moulin Rouge. (Mariana Mandelli)Consulte a programação, a partir da página 10. Os eventos franceses estão marcados com este símbolo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.