A fase de transição de Billy Wilder

A qualidade da obra de Billy Wilder está em sua perenidade - filmes como Irma La Douce, que o Telecine Cult exibe às 19h20, mantêm um frescor invejável, especialmente no tom de comédia. Aqui, Shirley MacLaine vive um dos melhores papéis de sua carreira, a prostituta pela qual se apaixona um policial, interpretado por Jack Lemmon.Rodado em 1963, o filme se encaixa em um momento em que Wilder vivia uma fase de transição, experimentando formatos, como a vulgaridade de Beije-me, Idiota, que viria no ano seguinte. Embora criticado na época, o diretor prepara-se para uma mudança na carreira, já atento a uma crítica social mais feroz. Assim, Irma La Douce ficou como um delicioso exemplo da velha comédia sentimental.

Ubiratan Brasil, O Estadao de S.Paulo

02 de outubro de 2008 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.