A estética política e urgente do inglês Winterbottom

Ao longo de quase duas dezenas de filmes que realizou desde sua estréia na direção, há 15 anos (com Under the Sun), o inglês Michael Winterbottom estabeleceu-se não apenas como diretor de prestígio, mas também como cineasta cuja obra, marcada pela urgência, trata de graves temas políticos contemporâneos. Agora mesmo, está em cartaz nos cinemas O Preço da Coragem, com Angelina Jolie, inspirado na luta de Mariane Pearl, mulher do jornalista Daniel Pearl, assassinado por fundamentalistas no Paquistão.Na TV paga, você pode ver hoje outro filme importante de Winterbottom, Caminho para Guantánamo, que estréia às 22 horas no Telecine Cult. O diretor baseou-se na história real de quatro ingleses de origem paquistanesa que regressam a seu país, para uma festa de casamento, e terminam indo parar no Afeganistão, onde são confundidos com talibãs e enviados, como prisioneiros, para a base que os norte-americanos mantêm em Cuba.Guantánamo é uma aberração jurídica. Suspeitos de atividades terroristas, os que vão para lá não têm direito a advogado, habeas-corpus, nada. Num estilo semidocumentário, Winterbottom coloca o dedo nesta ferida com um filme forte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.