A condição de turista ganha o exame de um filósofo

Inacabado, A Rainha Albemarle ou O Último Turista são fragmentos, publicados postumamente, de um projeto de Jean-Paul Sartre (1905 -1980) sobre a Itália, onde o filósofo francês costumava passar as férias de verão. São também textos que falam sobre o turista, uma figura moderna, pronta para a análise. Neste livro, consolidado por Arlette Elkaïm-Sartre e traduzido por Júlio Castañon Guimarães, Sartre faz dois questionamentos: como e sobre o que o turista escreve enquanto está em movimento pelo espaço abstrato do turismo. Ao responder a essas perguntas, o pensador percebe que o nada, elemento que constitui qualquer sujeito, está na condição do turista, esse ser sempre em passagem.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.