As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Renata Borges Pimenta e Antonia Prado pedem mais união à classe dos musicais

Ubiratan Brasil

29 de outubro de 2019 | 07h49

Após a publicação da minha matéria sobre o momento vivido hoje pelos musicais, pressionados pela redução de investimentos via renúncia fiscal, recebi algumas considerações. Todas muito proveitosas e acho que posso resumi-las em uma mensagem enviada por Whatsapp pela produtora Renata Borges Pimenta.

Ela prega a união entre os produtores de musical como o primeiro passo essencial para que o mercado reaja e não deixe se afundar, como parece acontecer. A existente, segundo ela, ainda é pequena diante do tamanho do problema.

Outra consideração diz respeito aos patrocinadores: não seria o momento de as grandes marcas, que sempre se associaram (e ganharam como marca) aos musicais, investissem recursos próprios em substituição aos incentivados? Afinal, já fazem isso com eventos grandiosos como Cirque du Soleil, Lolapalooza etc. Por que não com um musical que, para manter a grandeza, necessita de um investimento mais polpudo?

Outra consideração em relação ao material publicado por mim no domingo veio de Antonia Prado, criadora do Prêmio Reverência e que agora se chama apenas Reverência, pois perdeu seu caráter competitivo para promover a união da classe. Assim, ao invés de convidar para uma festa na qual poucos sairão vencedores, ela chama para uma reunião de amigos, na qual todos têm primazia.

Antonia escreveu uma carta aberta, que transcrevo aqui:

“Queridos artistas, companheiros de profissão, amigos,

O Prêmio Reverência nasceu com o propósito de ampliar a visibilidade e o alcance do teatro musical brasileiro, divulgar nossos espetáculos e valorizar a nossa classe. Sempre acreditamos na força dos nossos talentos. Sempre tivemos a certeza de que o mercado de musicais tem potencial para multiplicar o seu tamanho e a sua importância com a união da nossa paixão e dos nossos esforços.

Graças a isso, nesses mais de 10 anos de investimento, alcançamos números impressionantes: 145 produções inscritas e avaliadas em todas as edições, participação de 60 jurados e cerca de 200 pessoas trabalhando anualmente na realização de cada cerimônia. Nos tornamos a primeira e única premiação brasileira de teatro a ser transmitida por um canal de televisão. Nos destacamos também por sermos o único prêmio a abraçar espetáculos do Rio de Janeiro e São Paulo ao mesmo tempo. Fatos e dados que muito nos orgulham.

As nossas conquistas e aprendizados, acertos e erros, redobraram a confiança no potencial do nosso setor. Toda essa experiência também trouxe novos olhares, percepções e, sobretudo, a certeza de que é fundamental darmos o próximo passo. Queremos mais!

Sendo assim, com enorme alegria, informamos que estamos evoluindo: deixaremos de ser uma tradicional premiação e nos transformaremos numa plataforma que vai apoiar múltiplas iniciativas que visam enaltecer e divulgar os musicais no Brasil. A começar por um especial televisivo voltado exclusivamente para musicais, com objetivo de dar ainda mais visibilidade às produções em cartaz e a todos os talentos envolvidos. Sem perdedores ou vencedores. Um grande noite dos musicais na TV!

Neste momento em que o mundo está cheio de conflitos, preferimos focar todos os nossos esforços na celebração e na busca pela união. Está na hora de estarmos juntos! Unidos! Fortes!

Em breve, divulgaremos mais informações. Até lá, deixamos o nosso muito obrigada a todas as pessoas que, direta ou indiretamente, contribuíram com a nossa caminhada. Seguiremos acreditando que é possível sim avançar com afeto e sem abrir mão dos nossos valores. Temos muito orgulho da nossa trajetória, dos nossos princípios e da nossa transparência. E, acima de tudo, continuaremos focados em desempenhar o nosso melhor papel: aplaudir e celebrar sempre todos aqueles que emprestam seus talentos e esforços diariamente à arte dos musicais no Brasil. Assim, reafirmamos mais uma vez que nascemos e crescemos para reverenciar, compromisso esse que continuaremos a carregar no nome.

Prazer, agora somos Reverência.”

Tendências: