Divulgado o elenco de ‘Billy Elliot, o Musical’
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Divulgado o elenco de ‘Billy Elliot, o Musical’

Ubiratan Brasil

19 Janeiro 2019 | 21h00

A esperada montagem brasileira de Billy Elliot, o Musical dá o primeiro passo neste domingo, 20, com o início da venda de ingressos. Com previsão de estreia para 15 de março, o espetáculo produzido pelo Atelier de Cultura vai ocupar o majestoso espaço do Teatro Alfa – e, inicialmente, vai até o dia 30 de junho.

Digo inicialmente porque se trata de um musical que atrai muita curiosidade e, depois de visto, desperta infinita emoção. Foi assim com o filme dirigido em 2000 por Stephen Daldry e que revelou o talento de Jamie Bell no papel principal.

A montagem brasileira já tem seus Billies, três garotos que vêm utilizando o período de workshops e ensaios como verdadeiro aprendizado – ao contrário da grande maioria dos jovens que se aventuram nos musicais nacionais, esses meninos inicialmente não tinham ambição de fazer carreira no gênero. Eles já dançavam, tinham pouca (ou nenhuma) noção de interpretação e eventualmente cantavam. Agora, por exigência do papel, os três ensaiam avidamente para equalizar as três necessidades.

Os Billies. Tiago Fernandes, Pedro Sousa e Richard Marques. Foto Valéria Gonçalvez/Estadão

Acompanhei uma tarde de ensaio de Pedro Sousa, um carioca espevitado de 10 anos, Richard Marques, garoto de 14 anos, morador de Diadema e dono de um raciocínio bem lógico, e Tiago Fernandes, de 12 anos, morador de São Paulo e que cativa pela forma doce com que fala e olha. Os três vão se revezar como Billy e, percebi, descobrem aos poucos o tamanho desse papel. Creio que é o melhor caminho, pois evita ansiedade desnecessária.

A cena que vi mostra o encontro inicial entre Billy e a professora de balé, Mrs. Willkinson, vivido com delicadeza por Vanessa Costa. Ela pediu que o garoto trouxesse objetos que lhe fossem caros, mas Billy não entendeu – por isso, trouxe desde um cubo mágico a uma lata de sopa. Até que ela descobre um papel: é a carta escrita pela mãe de Billy antes de morrer, um tesouro sentimental que o menino carrega como seu mais importante objeto. A cena já revela ser uma pequena joia, com Sara Sarres (sempre exuberante) despontando como o espectro da mãe, acompanhando o garoto em seus momentos mais difíceis.

Cena. Tiago Fernandes ensaia com Vanessa Costa (Mrs. Wilkinson). Foto Valéria Gonçalvez/Estadão

Cada um dos três garotos ensaiou a cena, que sempre terminava com uma emoção incontida. E sempre encerrava com aplausos de John Stefaniuk, o canadense que atua como diretor associado, ou seja, é o responsável pela fidelidade ao original na montagem nacional. Com ele, vieram os coreógrafos internacionais associados Barnaby Meredith e Nikki Belsher.

O trabalho, como bem definiu Stefaniuk, é como um quebra-cabeça, em que cada peça vai sendo colocada no seu tempo até finalmente uma enorme figura surgir. Ele também associou a tarefa à confecção de uma colcha de retalhos, em que pedaços diversos de talentos distintos vão se unindo até finalmente formar um novo trabalho.

“O diretor é muito atencioso, sempre perguntando se a gente está de acordo com aquela forma de interpretar a cena”, contou Vanessa. Deu pra perceber que essa colcha é tecida a fim de integrar da melhor forma possível os meninos à história. Afinal, não se pode negar que parte do sucesso do musical será creditado à presença deles.

Carinho. O diretor canadense John Stefaniuk abraça Richard Marques. Foto Valéria Gonçalvez/Estadão

Participaram da conversa comigo outros atores de inegável talento, como Carmo Dalla Vecchia, Beto Sargentelli e Iná de Carvalho, além dos três guris e de Sara e Vanessa. Mais detalhes desse encontro está na capa do Caderno 2 de domingo, belamente ilustrado por uma foto de Valéria Gonçalvez.

A seguir, a ficha completa do musical:
ELENCO
Billy Elliot – Richard Marques, Pedro Sousa e Tiago Fernandes
Michael – Paulo Gomes, Felipe Costa e Tavinho Canalle
Jackie – Carmo Dalla Vecchia
Tony – Beto Sargentelli
Mrs. Wilkinson – Vanessa Costa
Mãe – Sara Sarres
Avó – Iná de Carvalho
Mr. Bralthwalte – André Luiz Odin
George – (não divulgado)
Big Daves – Marcelo Góes
Ensemble masculino – Afonso Monteiro, Dino Fernandes, Fabrício Negri, Fernando Marianno, Guilherme Pivetti, Gustavo Della, Lucas Cândido, Otávio Zobaran, Rodrigo Garcia, Sandro Conte, Danilo Martho e Vittor Fernando
Ensemble feminino – Carla Vazquez, Marisol Marcondes, Luciana Artusi, Vanessa Mello, Clarty Galvão, Mari Saraiva
Dance Capitan – Anelita Gallo
Alison Summers – Dudda Artese e Isabella Daneluz
Keeley Gibson – Anabê Drummond e Martha Nobel
Angela Robson – Maria Clara Mascellani e Ana Julia Santaniello
Julie Hope – Júlia Berlim e Thaís Morello
Debbie Wilkinson – Helô Aquino e Luisa Bresser
Susan Parks – Milena Blank e Gig Patta
Tracey Atkinson – Mel Hendriksen e Isa Pagnota
Sharon Percy – Laura Daguer e Giulia Mattiello
Tina Harmer – Anna Beatriz e Lia Botelho
*
FICHA TÉCNICA
Direção Geral: John Stefaniuk
Versão Brasileira: Mariana Elizabetsky e Victor Mületahler
Diretor associado: Floriano Nogueira
Diretor Musical: Daniel Rocha
Coreógrafo: Peter Darling
Coreógrafos Internacionais Associados: Barnaby Meredith e Nikki Belsher
Cenógrafo: Michael Carnahan
Figurinista: Ligia Rocha e Marco Pacheco
Designer de Luz: Mike Robertson
Designer de Luz Associado: Tom Mulliner
Designer de Som: Gaston Birski
Designer de Som Associado: Alejandro Zambrano
Visagista: Cabral
Produtora de Elenco: Marcela Altberg
Produtores Associados: Cleto Baccic, Carlos A. Cavalcanti e Vinícius Munhoz