Coronavírus: musicais sobre Silvio Santos e Donna Summer são suspensos; ‘Charlie’ adia estreia
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Coronavírus: musicais sobre Silvio Santos e Donna Summer são suspensos; ‘Charlie’ adia estreia

Ubiratan Brasil

14 de março de 2020 | 22h12

Os atores do musical Silvio Santos Vem Aí! receberam uma dolorosa notícia depois de encerradas as sessões deste sábado, 14, no 033 Rooftop: o espetáculo ficará fora de cartaz durante aproximadamente um mês. Também Summer: Donna Summer Musical, em cartaz no Teatro Santander, inicia uma suspensão, ao menos até o dia 5 de abril, conforme comunicado divulgado neste sábado. O dia também foi de interrupção para um musical que ainda nem estreou, Charlie e a Fantástica Fábrica de Chocolate – com previsão de pré-estreias neste sábado, 14, e domingo, 15, no Teatro Alfa, o mega-espetáculo não será testado, e ainda terá de remarcar sua estreia, antes prevista para a quinta-feira, 19.

Folga forçada. Velson D’Souza, como Silvio Santos. Foto Adriano Doria

Esses e outras peças, além de shows e eventos envolvendo um grande número de pessoas, atendem às determinações do Ministério da Saúde e da Secretaria Estadual de Saúde, que vetaram tais tipos de acontecimentos para evitar a propagação do novo coronavírus. “O interesse é colaborar para a segurança da sociedade”, diz o comunicado de Donna Summer Musical, o que, de uma certa forma, é assinado por todos produtores. A parada repentina, porém, provoca um problema inesperado justamente para esses produtores, que deixam de ter a arrecadação da bilheteria, mas continuam honrando compromissos, como o pagamento salarial de elenco e equipe técnica.

Em conversa com o Estado, produtores disseram que não sabem ainda de quanto será o prejuízo diário, mas será “gigantesco”, segundo um deles. Outro prevê problemas futuros, quando deverá ser feita a prestação contas dos investimentos conquistados via lei de incentivo pela Rouanet. Com a paralisação, talvez não seja possível realizar algumas contrapartidas, como prevê o acordo. “Será que o governo vai entender isso?”, questiona.

Estreia adiada. Cleto Baccic em ‘Charlie e a Fantástica Fábrica de Chocolate’. Foto João Caldas

O Estado acompanhou um ensaio de Charlie e a Fantástica Fábrica de Chocolate e constatou a magnitude do espetáculo, recheado de efeitos especiais. Uma produção tão detalhada que apenas o Teatro Alfa, entre os equipamentos de São Paulo, é capacitado para atender suas necessidades técnicas.

Tudo o que sabemos sobre:

Musical#coronavirus