As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Alma boa

Ubiratan Brasil

15 de setembro de 2010 | 19h46

  Nas mesma leitura de Ciranda, encontrei com a atriz Denise Fraga e o diretor Luiz Vilaça. Ela ainda estava sob o impacto do final da temporada de A Alma Boa de Setsuan, peça que construiu uma admirável carreira, visto que foi montada inicialmente em 2008.

O que mais me impressionou na montagem, que vi no Teatro Renaissance, foi a cumplicidade estabalecida com a plateia. Não apenas pelo texto de Brecht, mas principalmente pela decisão do diretor Marco Antônio Braz de trazer os camarins para cena, permitindo que o público já entrasse em contato com elenco antes do apagar das luzes. “Eu adorava entregar o programa de peça pessoalmente”, disse Denise, que apresentou o melhor de seu talento ao arrancar gargalhadas que, pouco depois, transformavam-se em reflexão.

E, para encerrar com chave de ouro a temporada, ela decidiu se apresentar uma vez mais, no dia 22, no Teatro Sérgio Cardoso. Quem quiser ir, basta levar um quilo de alimento não perecível ou um pacote de fraldas para trocar por um ingresso. Mais que uma encenação, certamente vai ser uma festa que homenageará quem ama o teatro, especialmente Marcos Cesana, ator de rara sensibilidade, também diretor e adaptador, que infelizmente morreu durante a temporada. Deixou uma lacuna irreparável, mas sua vibração e seu talento continuam, como um estímula para a criação.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.