Game of Thrones encontrou Walking Dead
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Game of Thrones encontrou Walking Dead

Enquanto em Game of Thrones os mortos reencarnados em soldados causam enorme impacto estético e dramático, em Walking Dead os zumbis caíram na rotina

Pedro Venceslau

01 de junho de 2015 | 19h53

zumbi2

Nunca antes na história de Game of Thrones houve uma batalha como a do último domingo entre zumbis e “selvagens”. São muitas as cenas fortes desde a primeira temporada, mas nas redes sociais já tem gente dizendo que o genocídio praticado pelos mortos vivos foi um divisor de águas na série. As cenas foram de tirar o fôlego.

A tensão foi crescendo envolta em neblina e neve até que explodiu em uma avalanche (literalmente) de esqueletos e corpos pútridos atacando os selvagens e a patrulha comandada por Jon Snow. O psicólogo Carl Gustav Jung definiu arquétipo como um conjunto de imagens psíquicas presentes no inconsciente coletivo que seria a parte mais profunda do inconsciente humano.

O que se viu na sequência de ontem, sobretudo na cena final, quando quatro cavaleiros sombrios aparecem no alto de uma colina observando o saldo da guerra, pode ser interpretado como o arquétipo da morte. Dos cães latindo ao pressentir o que vinha até o desfecho dramático, o que se viu foi uma coreografia impecável.

Quando o estatuto do conflito começa a ficar mais claro, é impossível não associar o confronto com os embates entre zumbis e humanos na série The Walking Dead.

Em um determinado momento pouco antes do confronto com os caminhantes brancos, uma  “selvagem” embarca seus filhos em um barco e diz que os encontrará tão logo termine de ajudar os idosos e deixarem o local. Mas aí a luta começa sem tréguas. Lá pelas tantas, ela vê quatro crianças no formato de zumbis e se entrega.

Os guris devoram seu corpo impiedosamente. A cena é chocante e explica o fenômeno: todos que morrem se transformam em soldados zumbis. O mesmo processo acontece em Walking Dead. Na série exibida pela Fox, porém, o recurso banalizou-se.

Enquanto em Game of Thrones os mortos reencarnados em soldados causam enorme impacto estético e dramático, em Walking Dead os zumbis perderam completamente a graça. Depois de cinco temporadas, eles parecem andar de lado em uma trama que não evolui e deixou de inspirar metáforas.