Viver a Vida marca 46 pontos no capítulo final

Estadão

14 de maio de 2010 | 23h17

O maestro João Carlos Martins foi o último a dar um depoimento de superação na novela Viver a Vida, cujo último capítulo foi exibido agora há pouco. Não poderia haver figura mais representativa para fechar bem o quadro, um dos pontos altos durante toda a novela. O nome do maestro ficou em primeiro lugar no Trending Topics do Twitter, passando o “NBC cancels Heroes”, assunto do dia.

Já no campo ficcional, não houve grandes supresas, à exceção do mistério a ser resolvido – quem era o pai do filho da Dora (Giovanna Antonelli)? Ela Maradona (Mario Jose Paz), ou supostamente ele. O que se provou, pelo exame de DNA foi que não era Marcos (José Mayer). Maradona se deu bem e o ator, . Outro argentino que se deu bem foi o personagem de Roberto Birindelli, que entrou no fim da novela, montou restaurante e ficou com a Soraia (Nanda Costa), a prima invejosa. Argentina, 2. Brasil, 0.

Também teve americano no último capítulo, um texano milionário que apareceu para ficar com Isabel (Adriana Birolli). “Dono de poços de petróleo”, tipo raro de ser encontrado na vida real. Alice (Maria Luiza Mendonça) passou a novela a ver navios, mas terminou com dois namorados. 

Marcos, aquele sujeito de caráter questionável, apareceu em cena rápida comemorando o resultado do exame. Não tenho certeza, mas acho que foi um tanto indelicado. O empresário, aliás, que começou a novela como uma espécie de Mr. Big (de Sex And The City), acabou levando uma tremenda bronca da ex-mulher, Teresa (Lilia Cabral). Tem coisa pior do que bronca de ex-mulher?

Teresa arrasou até o fim. Primeiro, disse poucas e boas para Marcos. Depois, diante daquela passividade de Helena (Taís Araújo), disse: “Nós não vamos ser amigas, Helena.”

Helena, enfim, conseguiu ter um bebê, coisa que ela vinha tentando desde o começo da história. A cadeirante Luciana (Alinne Moraes) teve dois bebês. As duas terminaram desfilando juntas, enquanto os maridos seguravam os bebês na plateia – Mateus Solano com dois, sempre trabalhando dobrado. Foi fofo.

O Ibope foi maior do que nos últimos dias, mas ainda sim foi menor do que as antecessoras. Segundo daods prévios, o capítulo registrou média de 46 pontos, com 60% de participação nos televisores ligados (share). A novela anterior fechou com 55 pontos de média no último capítulo e antes dela, A Favorita marcou 50 pontos.

Tudo o que sabemos sobre:

IbopeViver a Vida

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: