Nicollette Sheridan, a Edie, processa Marc Cherry, criador de 'Desperate Housewives'

Estadão

06 de abril de 2010 | 15h24

Nicollette Sheridan em cena de 'Desperate Housewives'

Nicollette Sheridan em cena de 'Desperate Housewives'

Nicollette Sheridan, a atriz que interpretava Edie Brit, personagem recorrente na série ‘Desperate
Housewives’, está processando o criador e produtor Marc Cherry por agressão e demissão injustificada.

Nos documentos apresentados na segunda-feira ao Tribunal Superior de Los Angeles, Nicollette diz que, em setembro de 2008, o produtor Marc Cherry a estapeou quando estava no set da rua fictícia de Wisteria Lane. Nicollette afirmou que, quando questionou Cherry sobre uma fala em seu roteiro, ele a levou para um canto e, energicamente, lhe deu um tapa na cara e na cabeça. Quando ela voltou a seu trailer, Cherry estava suplicando por perdão.  

Segundo Nicollette, depois que ela reportou o incidente aos executivos da rede americana ABC, Cherry se vingou matando sua personagem, Edie Brit. O processo pede uma indenização de US$ 20 milhões por danos morais. A ABC e Marc Cherry ainda não se manifestaram.    

A ação, que inclui a ABC, acusa Cherry de criar um ambiente hostil de trabalho e de comportar-se de maneira agressiva e abusiva contra elenco e roteiristas.  Nicollette afirma que, quando Teri Hatcher, a Susan Meyer, falou com os executivos da ABC sobre a conduta de Cherry, o produtor disse: “Espero que um carro atropele  Teri
Hatcher e ela morra.” 

Nicollette argumentou que sua personagem era uma das principais da série e que estava tendo mais exposição na quinta temporada, antes de sua morte. Nicollette Sheridan não aparece como o restante das atrizes principais nos créditos iniciais do programa, mas a personagem era crucial para as questões com as vizinhas. Segundo a atriz, Cherry e a ABC se vingaram matando Edie num acidente de carro. “É extremamente estranho que uma personagem tão popular termine assassinada ou eliminada de uma série de televisão, a menos que o ator tenha pedido para ser liberado do contrato”, falam os advogados de Nicollette.

Traduzido da AP.