Legendários decepciona, mas vai bem em ibope

Estadão

12 de abril de 2010 | 17h09

Mion faz paródia de Bad, de Michael Jackson, ponto alto do 'Legendários'. Crédito: Divulgação

Mion faz paródia de Bad, de Michael Jackson, ponto alto do 'Legendários'. Crédito: Divulgação

Legendários estreou com boa audiência na Record, no último sábado. Foram 10 pontos de média no Ibope, o que deixou a rede em  segundo lugar, atrás da Globo, que marcou 26 pontos. Anunciado para às 21h45, o programa fez de tudo para não concorrer com a novela Viver a Vida e só começou às 21h54, assim que a trama da Globo saiu do ar.

A expectativa para a estreia, no entanto, anunciada como uma alternativa de “humor do bem”, decepcionou. De fato,  o grupo não usou o artifício da humilhação alheia para arrancar risadas, mas contrariando o prometido, abusou de mulheres em trajes mínimos dançando no palco e até entregando flores na Avenida Paulista, em reportagem sobre poluição.

João Gordo, em um quadro bem semelhante ao Proteste Já, do CQC (Band), foi muito bem entrevistando populares e mostrando toda sua irreverência nas ruas de São Paulo. Porém, quando teve de articular uma pergunta para o prefeito Gilberto Kassb (DEM), que misturava números de multas, números de pontos de  alagamento e ironia, mostrou-se um tanto confuso. Faltou, talvez, a agilidade de pensamento dos meninos do stand-up.

Jaque Khury “como você nunca viu” também não mostrou muita novidade: pouca roupa, apelo sensual, com a única diferença de, agora, ter mais texto a decorar.

O quadro de Miá Mello, em que a humorista apareceu como a histérica Teena entrevistando Chitãozinho e Xororó, também lembrou muito o  Repórter Inexperiente (do CQC), só que com roteiro combinado.

Enquanto Marcos Mion chamava os quadros, os outros apresentadores ficavam sentados no palco, sem qualquer função, a não ser  sorrir e fazer caretas para a câmera. Depois, a cada matéria, o apresentador dava um jeito de fazer um discurso, sobre preconceito, consciência ecológica, humor do bem… Tudo politicamente correto demais.

Felizmente, o humor debochado do antigo Hermes e Renato – e as paródias de clipes feitas com maestria por Mion – conseguiram render alguns dos poucos momentos realmente divertidos do programa.

Mais conteúdo sobre:

LegendáriosMarcos MionRecord