Confira o "final feliz" de Crô e Baltazar

Estadão

23 de março de 2012 | 20h11

Por Alline Dauroiz

Baltazar consola Crô, depois que Tereza Cristina foge, em Fina Estampa. Crédito: Renato Rocha Miranda / Divulgação

Crô e Baltazar, prestes a se abraçar, para selar final de seus personagens, em Fina Estampa. Crédito: Renato Rocha Miranda / Divulgação

Não, Baltazar (Alexandre Nero) não é o amante misterioso de Crô (Marcelo Serrado) nem os dois vão acabar juntos no final de Fina Estampa, que vai ao ar daqui a pouco na Globo. Mas, em uma das últimas cenas da dupla na novela, Zoiudo consola  Crô depois que ele fica deprimido com a fuga da vilã Tereza Cristina (Cristiane Torloni).

Em cena redentora para os personagens que brigaram feito gato e rato a novela toda, Baltazar se chama de Zoiudo e implora para que Crô saia do armário em que se trancou, porque “o mundo aqui fora não tem amenor graça sem ele”.

Ao Estado, Alexandre Nero fala mais sobre a cena.

“Minha inspiração para essa cena foi a animação Megaman. Porque tem uma hora que o herói desiste de ser herói. E o vilão pensa: “Pô, mas que sem graça. E agora? O que eu vou fazer? Volta a ser herói, vai…” Porque não tem ninguém mais pra disputar com ele. O Baltazar, quando vai tirar o Crô do armário, é mais ou menos isso. Ele pensa: “Vou pegar no pé de quem?”, contou Nero. Para o ator, Baltazar se dá conta de que Crô, no fim das contas, é seu único amigo.

Segundo especulações, o final de Zoiudo será como motorista de Crô, que vai herdar fortuna de Tereza Cristina.

“Vamos terminar a novela implicando um com o outro, pra voltar a brincadeira dos dois. Eles são o Tom e Jerry”, revela o ator. “E mais do que que picuinhas de homofóbico contra gay, acho que a brincadeira dos dois é a picuinha de gente que trabalha juntas.”

 

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: