"Chico Anysio nunca teve problema com o Casseta, mas sim, com o TV Pirata"

Estadão

23 de março de 2012 | 18h21

Cláudio Manoel, na pre-estreia do Risadaria, na Bienal. Crédito: Juan Guerra / AE

Por Alline Dauroiz

Líder do grupo Casseta & Planeta, que volta à TV no dia 30 com novo formato, Cláudio Manoel esclareceu ao Estado a polêmica que, por anos, permeou a relação de Chico Anysio com os cassetas: a de que Chico teria falado mal do humor do grupo, quando os meninos começaram na TV.

“O problema do Chico nunca foi com o Casseta. Ele chegou a falar mal e a criar polêmica com o TV Pirata, programa do qual eu e os outros cassetas fazíamos parte, como redatores. Ele dizia que o TV Pirata era elitista, que a empregada dele não entendia nada”, lembra. Segundo Cláudio, a relação de Chico com o grupo dos cassetas sempre foi tranquila.”Depois de uns dez anos de programa, ele fez uma participação. E foi muito legal.”

Em 2009, Chico também participou do documentário Ninguém Sabe o Duro Que Dei, sobre Wilson Simonal, dirigido por Claudio Manoel. “Ele tinha muita verve, falava muito bem, produzia boas frases. Tanto que abri o documentário com ele.”

Em agosto passado, Chico foi o terceiro entrevistado do quadro O Que Vi da Vida, do Fantástico, também comandado pelo casseta. Na ocasião, já na cadeira de rodas e com estado de saúde muito debilitado, teve de parar várias vezes a gravação  para tomar fôlego, lembra Cláudio. “Fiquei lisonjeado, porque ele me ligou pedindo a fita do Fantástico e disse que foi a melhor entrevista que ele já deu na vida”,  lembra Cláudio.

Para o casseta, Chico Anysio é a soma de grandes nomes do humor brasileiro, como Oscarito, Grande Otelo, Renato Aragão e Jô Soares. “Ninguém tinha tantos personagens. Todo mundo ficava na expectativa para ver qual seria o próximo que ele iria criar”, diz o humorista. “Ele era o melhor ator do Brasil. Porque fazer a si mesmo bem é muito fácil, mas fazer mais de 200 tipos diferentes, com tamanha quantidade de vozes e tipos. Nem Jack Nicholson nem Robert De Niro fizeram coisa assim. O mundo fica menos engraçado, cada vez que morre um de nós.”

Reveja o quadro O Que Vi da Vida, com Chico Anysio, no Fantástico, em que ele conta ter “apanhado muito quando criança”:

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: