Um amor para duas

Estadão

20 de agosto de 2010 | 20h16

sopros_500

Duas mulheres se encontram frente a frente após serem abandonadas por um mesmo homem. Esposa e amante o dividiram por 25 anos, e agora fazem uma espécie de ‘acerto de contas’. Esta é a trama de Sopros de Vida, montagem carioca que estreia hoje (20) no Teatro Vivo. O autor, David Hare, é mais conhecido no Brasil por dois roteiros levados ao cinema: As Horas (2003) e O Leitor (2009). O texto foi escrito para duas divas do teatro inglês, Judi Dench e Maggie Smith. Na versão do diretor Naum Alves de Souza, o quilate das atrizes em nada deixa a dever ao das colegas britânicas: a amante Madeleine é vivida por Nathalia Timberg, e a esposa Francis, por Rosamaria Murtinho. Martin, o marido que as trocou por uma mulher mais jovem, nunca aparece – sua figura é traçada apenas pelo diálogo entre as protagonistas, repleto de sutileza e ironia indisfarçavelmente inglesas (é certo que os rumos e ânimos da conversa seriam outros, fosse o autor latino). É uma chance e tanto de ver duas grandes atrizes brasileiras em ação. E em oposição.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.