Os substitutos

Estadão

16 de julho de 2010 | 07h00

zorro_500

A história do justiceiro Diego de La Vega estreia hoje (16), no Teatro das Artes, em novo formato. Zorro – O Musical tem cenas de esgrima indicadas ao prêmio Shell, roteiro baseado no livro de Isabel Allende e trilha dos Gipsy Kings. Conquistar grandes nomes para o elenco, porém, foi mais complicado. Murilo Rosa foi chamado para viver o mascarado, mas, para cumprir contrato de uma novela, terá de alternar com Jarbas Homem de Mello. A cantora Wanessa deveria dar vida à mocinha Luiza no primeiro mês em cartaz, mas o papel ficou para sua irmã, Camila Camargo. Esses ‘substitutos’ dão o que falar – e têm algo a dizer.

ELE NÃO É O MURILO

P | Como vai ser dividir o personagem com Murilo Rosa?
R |
O diretor Roberto Lage tinha me convidado para ser assistente de direção. Quando descobriram que precisariam de alguém para estrear o musical no lugar do Murilo, acharam mais fácil me chamar, já estava ali mesmo. Quando ele voltar, vamos nos alternar no papel, de dois em dois dias.

P | Sente um peso por substituí-lo?
R |
Já trabalhei com grandes atores. Já venci este medo há muito tempo.

P| Qual foi a sua maior dificuldade?
R |
Sou bailarino, ator e cantor. Difícil mesmo foi aprender esgrima e lutar usando uma capa, uma máscara e um chapéu. Fico parecendo uma árvore de Natal. Coleciono algumas marcas pelas mãos e pelos braços.

ELA NÃO É WANESSA

P | Você conversou com Wanessa sobre Luiza?
R | Sim, dei o maior apoio para ela fazer. A gente já estava até ensaiando tudo. Seria uma participação especial no primeiro mês. Depois eu assumiria. Realmente não deu, mas seria o máximo trabalhar com minha irmã.

P | Sente pressão por vir de uma família de músicos?
R |
 Eu sempre tentei fugir desse universo. Quando percebi que era disso que gostava, tive de encarar. A maior pressão é do público, não do elenco.

P | Qual foi sua maior dificuldade?
R |
O canto, porque a minha formação é de atriz. Não é porque sou de uma família da área que, automaticamente, deveria saber cantar bem. Minha mãe não é nada afinada! Nisso, eu e o Murilo nos demos força. (Carol Pascoal)