Keith Richards e seus riffs inconfundíveis

Keith Richards e seus riffs inconfundíveis

De passagem pelo Brasil, guitarrista e os Rolling Stones encerram turnês no País com show em Porto Alegre, nesta quarta, 2

Heverton Nascimento

02 de março de 2016 | 14h47

Além de conhecido por seus excessos e por criar geniais frases de impacto – cunhadas em entrevistas e ‘viralizadas’ em fenômeno bem anterior à existência da internet – Keith Richards sustenta há décadas a fama de ser um dos maiores criadores de riffs da história da guitarra.

Na verdade ele é tão bom nisso, que não raro são utilizadas suas composições para explicar o conceito de riff. Tudo bem, “Smoke on the water”, do Deep Purple, ou “Iron man”, do Black Sabbath, também são riff memoráveis. Mas é muito improvável que as 12 notas que compõem ‘I cant get no (Satisfaction)’ não sejam cantaroladas durante a explicação, mesmo depois desses outros exemplos.

E o guitarrista principal dos Rolling Stones tem uma coleção enorme de outras músicas em que a passagem da guitarra é tão ou mais emblemática do que a própria melodia vocal. Todas com riffs clássicos. “Brown Sugar”, “Jumping Jack Flash”, “Start me Up”, “Honk Tonk Woman”. Impossível não ouvir qualquer dos riffs iniciais dessas músicas e não bater o pé. Ele já teria o título de grande compositor de riffs ainda que Keith não tivesse gravado Satisfaction. Reza a lenda, reforçada pelo próprio, que Keith sonhou com o famoso riff, acordou, tocou na guitarra para gravar e o resto é historia.

Keith Richards está com 72 anos, mas quando aparece no palco empunhando sua Fender Telecaster com a correia bem alongada, deixando o instrumento pendurado de maneira propositadamente desleixada, é como se fosse um garoto. O mesmo garoto que leu o clássico da literatura inglesa David Coperfield, de Charles Dickens, e se encantou com o personagem Micawber, dando esse nome, anos mais tarde, a uma de suas guitarras. É justamente a Telecaster Micawber, com afinação diferente e equipada apenas com cinco cordas que o riff de “Honk Tonk Woman” acontece.

Keith Richards (L) and Charlie Watts performs with the Rolling Stones at the O2 Arena in London November 25, 2012. The Stones took to the stage on Sunday after a five-year hiatus to celebrate the golden jubilee of one of the most successful and enduring bands in rock and roll history. Now in their mid-60s to early 70s, lead singer Mick Jagger, guitarists Richards and Ronnie Wood and drummer Watts were joined by former members Bill Wyman and Mick Taylor for concerts in London and the United States. REUTERS/Toby Melville (BRITAIN - Tags: ENTERTAINMENT)

Keith Richards e sua lendária Micawber: conte as cinco cordas na Telecaster – Photo by Mark Allan/Invision/AP

Sim, uma guitarra tem originalmente seis cordas, a saber, afinadas normalmente em Mi, La, Ré, Sol, Si e Mi. Mas Richards bebeu na fonte dos bluesman americanos dos anos 1920 e suas afinações alternativas, inventadas de improviso. E começou a usar uma guitarra com a disposição em Sol, Ré, Sol, Si e Ré, dispensando a sexta – e mais grossa – corda. Em sua genialidade, ele só precisou disso para compor boa parte dos riffs, que o colocaram para sempre na história do instrumento.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.