Ao contrabaixo, Seo Manouche apresenta aos paulistanos a versão brasileira para o jazz cigano

Ao contrabaixo, Seo Manouche apresenta aos paulistanos a versão brasileira para o jazz cigano

Músico faz show na cidade e lança 'Cavaquinho de Itu', trabalho que coloca o estilo musical um passo à frente no Brasil

Heverton Nascimento

11 Maio 2017 | 11h21

O blog pede licença à comunidade das seis cordas para falar de contrabaixo. Ok, é um instrumento da mesma família e, não à toa, em inglês é “bass guitar”. Mas o baixo do qual falamos nesta quinta-feira é o double bass, o baixo acústico. Aquele grandão charmoso, que tem graves aveludados. Esse aí da foto, ó:

 

 

E por que vamos falar de baixo? Ah, porque esse cara aí na foto é o Seo Manouche, nome artístico de Gilberto de Syllos. E ele faz nesta quinta-feira, 11, um som no Jazz nos Fundos, em São Paulo, para lançar o seu mais recente trabalho, o disco ‘Cavaquinho de Itu’.

Seo Manouche usa esse nome, você deve saber, em homenagem ao jazz manouche, estilo consagrado por Django Reinhardt. No show de hoje, ele estará acompanhado de importantes nomes desse segmento no Brasil. Informei.

O convite está feito e você pode conhecer um pouco mais do som aqui nesse vídeo:

 

Mas como isso é um blog de guitarra e citamos Django, não podemos encerrar essa postagem sem uma devida homenagem/lembrança ao expoente do gypsy jazz – outro nome dado ao estilo.

Django, você pode notar no vídeo, teve um problema com a mão esquerda, quando o acampamento cigano em que vivia na Bélgica, no começo do século 20, sofreu um incêndio. Mesmo assim, ele desenvolveu uma técnica particular para conseguir externar toda a música que sua alma precisava exalar. Com isso, influenciou uma enorme quantidade de músicos, incluindo alguns ligados à gênese do rock e nomes importantes na história do jazz.

Assista ao vídeo e delicie-se.