Uma breve homenagem a Paul McCartney, 73.

Uma breve homenagem a Paul McCartney, 73.

O velho Macca completa 73 anos e justifica o título de maior músico pop de todos os tempos. Dono de uma das maiores fortunas da Inglaterra, o ex-beatle está em plena atividade. Incansável, encara concertos de três horas com a mesma energia do menino de Liverpool que, no fim dos anos 50, juntou-se aos Quarrymen e entrou para a história com os Beatles.

Carlos de Oliveira

18 de junho de 2015 | 13h54

Em 1967, aos 25 anos, Paul McCartney expôs suas preocupações com o passar do tempo ao incluir When I’m Sixty-Four no álbum Sgt. Pepper’s Lonely Heart Club Band. Hoje, ao completar 73, algumas das dúvidas expostas na letra da música se mostraram desnecessárias. Certamente, Paul continua recebendo cartões no Dia dos Namorados, garrafas de vinho não devem ser problema para o músico mais rico da Inglaterra e, com certeza, ninguém vai deixá-lo trancado fora de casa, caso chegue depois de 15 para as três.

paul-m

Da juventude, no tempo dos Beatles, aos 73 anos, em carreira solo: o mesmo carisma e a mesma fama.

Da juventude, no tempo dos Beatles, aos 73 anos, em carreira solo: o mesmo carisma e a mesma fama.

Ouça When I’m Sixty-Four, com os Beatles:

Talento – Ao contrário do que imaginava na música, Paul não ficou careca, embora a tintura que usa nos cabelos lhe deixe com aquela aparência meio artificial. Mas quem liga? O velho Macca nunca foi tão autêntico nem seu talento foi tão reconhecido em todo o mundo. Se ele se imaginava vivendo ao lado de uma esposa velhinha, enganou-se. Fora os namoros, casou-se três vezes com mulheres jovens. Todas precisaram dele em algum momento e todas elas, boas cozinheiras ou não, na pior das hipóteses, lhe ofereceram algo para comer. Mas nada de carne, por favor.

Sobre trocar fusíveis ou cuidar do jardim, é bem provável que tenha profissionais mais qualificados para se ocupar desses afazeres. Passar o verão numa casa de campo alugada na Ilha de Wight parece muito pouco factível para um homem que tem uma fortuna calculada em 730 milhões de libras esterlinas (para saber quanto isso tudo representa em reais, basta multiplicar esse valor por quatro). Ele não precisaria pechinchar, tampouco economizar, como escreveu na música. Poderia comprar a ilha toda, se quisesse.

Aos 73 anos, Paul McCartney, contrariando sua canção, está jovem, cheio de energia, capaz de encarar um concerto de três longas horas. Considerado o maior músico pop de todos os tempos, o cantor, compositor, baixista, guitarrista, pianista e outros tantos istas transita do rock ao clássico com a mesma facilidade. Difícil imitá-lo, impossível substituí-lo. Que viva mais 64 anos.

Acompanhe a letra de When I’m Sixty-Four:

When I get older losing my hair,
Many years from now.
Will you still be sending me a Valentine.
Birthday greetings bottle of wine.
If I’d been out till quarter to three.
Would you lock the door.
Will you still need me, will you still feed me,
When i’m sixty-four.

You’ll be older too,
And if you say the word,
I could stay with you.

I could be handy, mending a fuse
When your lights have gone.
You can knit a sweater by the fireside
Sunday morning go for a ride,
Doing the garden, digging the weeds,
Who could ask for more?
Will you still need me, will you still feed me
When I’m sixty-four.

Every summer we can rent a cottage,
In the Isle of Wight, if it’s not too dear
We shall scrimp and save
Grandchildren on your knee
Vera, Chuck and Dave

Send me a postcard, drop me a line,
Stating point of view
Indicate precisely what you mean to say
Yours sincerely wasting away
Give me your answer, fill in a form
Mine for evermore
Will you still need me, will you still feed me
When I’m sixty-four?

E feliz aniversário: