Primeira guitarra sólida de George vai a leilão

Primeira guitarra sólida de George vai a leilão

Os lances serão dados no próximo dia 12 ao leiloeiro da Bonhams Entertainment Memorabilia, em Londres. Levará a Futura de George quem oferecer algo em torno de 200 mil a 300 mil libras esterlinas.

Carlos de Oliveira

05 de junho de 2019 | 13h20

George Harrison teve centenas de guitarras. Elétricas, acústicas, de todas as marcas e modelos. Mas uma delas é especial e, mesmo assim, está longe de ser um bom instrumento. Trata-se de uma Futurama Resonet, fabricada por uma certa empresa chamada Delicia, em Horovice, extinta Checoslováquia, e comprada por ele em novembro de 1958, na loja de Frank Hessy, em Liverpool.

George Harrison (segundo da esq. para a dir.), aos 17 anos, com sua guitarra Futurama, nos primórdios dos Beatles. Pete Best era o baterista e Stuart Sutcliffe  era o baixista, mesmo sem saber tocar o instrumento. O ano é 1960 ou 1961, quando a banda aventurou-se em Hamburgo.

Risco – Foi um investimento arriscado para um músico desconhecido, iniciante e sem garantias de uma carreira de sucesso. The Silver Beatles não passavam de uma promessa, se tanto. Pagou por ela 55 guinéus (55,75 libras na época), o que hoje corresponderia a 780 libras esterlinas ou cerca de U$ 1000. Foi sua primeira guitarra de corpo sólido. George tinha 17 anos e com sua Futurama enfrentou as loucas excursões a Hamburgo, entre 1960 e 1961.

Nestas fotos, George Harrison e sua Futurama em apresentação em Hamburgo e posando para a amiga alemã Astrid Kirchherr.

Em 1964, já famoso, George não precisava mais da guitarra que tinha a ação muito alta (distância das cordas em relação ao braço), mas produzia um bom som. Era um tanto tosca, mas era também a guitarra que mais se assemelhava a uma Fender Stratocaster, instrumento de seus sonhos naquela época.

Strato – “Se eu tivesse condições, uma Fender Stratocaster teria sido minha primeira guitarra. Eu havia visto uma delas na capa do disco Chirping Crickets, de Buddy Holly, e tentei de todas as forma encontrar uma em Liverpool. Impossível naquela época, tanto pela raridade como pelo preço. A Futurama foi o que mais perto consegui de uma Strat. Era bem difícil tocar com ela. Mesmo assim, tinha uma aparência futurista”, disse Harrison a Andy Babiuk, autor do livro Beatles Gear, no qual descreve nos mínimos detalhes cada instrumento usado pela banda.

Prêmio – Nesse mesmo ano, George deu sua Futurama para Beat Instrumental Magazine. A intenção era oferecê-la como prêmio ao vencedor de uma competição musical. Ocorre que o tal vencedor preferiu receber seu prêmio em dinheiro e a guitarra permaneceu na revista até hoje, quando um parente do ex-editor decidiu levá-la a leilão. Apesar do tempo e do uso, a Futurama está em ótimo estado de conservação, assim como seu estojo original, enfeitado com adesivos da época de Hamburgo. Os documentos de compra acompanham o instrumento.

George e sua Rocky, uma Fender Stratocaster cuja cor original era Sonic Blue. Era 1967, tempos psicodélicos do álbum e do filme Magical Mystery Tour, e a guitarra seguiu a moda.

Rocky – Ao longo de sua carreira, durante os Beatles e depois deles, George pôde ter várias Stratocasters. A mais famosa delas foi a Rocky, pintada a mão por ele com elementos psicodélicos e religiosos, e que hoje pertence ao seu filho Dhany Harrison, como de resto todos os seus outros instrumentos.

George teve centenas de instrumentos ao longo de sua vida, entre guitarras elétricas e acústicas, além de ukeleles e instrumentos indianos.

Segundo Claire Tole-Moir, leiloeira da Bonhams Entertainment Memorabilia, responsável pelo leilão, “é raro e excitante ver uma guitarra dos Beatles chegar ao mercado. George Harrison é um dos maiores nomes do rock e temos o privilégio de lidar com um instrumento que remonta a um período inicial da história dos Beatles, quando a banda estava aprendendo seu ofício e desenvolvendo o som que encantaria o mundo. Já há um enorme interesse dos colecionadores.”

Pequena fortuna – O leilão será realizado no dia 12 de junho, uma quarta-feira e a estimativa é de que um colecionador arremate a Futurama por algo em torno de 200 mil e 300 mil libras (entre R$ 1.140.000,00 e R$ 1.710.000,00, com a libra cotada a R$ 5,7). Um investimento milionário, à espera do primeiro lance.

 

 

Tendências: