Você tenta esquecer seus erros, mas seus erros não se esquecem de você

Oscar Quiroga

10 de agosto de 2011 | 03h06

 

10-8-11 – quarta-feira – Das 3h06 até 17h35, horário de Brasília, a Lua que cresce em Capricórnio está em trígono com Júpiter e quadratura com Saturno.

 

Todos tentamos sempre esquecer os erros que cometemos para não sofrer com o tormento da culpa. Porém, os erros que cometemos não se esquecem de nós, estão em nosso encalço por toda a eternidade até que tomemos coragem de aceitá-los e redimi-los.

Nós, humanos, somos eficientes organismos cósmicos de criação e o planeta Terra é o playground onde brincamos de inventar realidades.

Essas realidades que inventamos são nossos filhos, extensões de nossas identidades mal resolvidas e de nada adianta nos convencer de que podemos nos livrar de nossos erros empurrando-os alhures, pois como são nossas criaturas as reencontraremos em alguma curva da vida para redimi-las.

Quando colocamos nossa força de vontade a funcionar e agregamos a esta a força dos desejos, inevitavelmente criamos uma realidade. Uma vez que a realidade é criada, todos esquecemos que é nossa responsabilidade lhe dar fim quando tiver cumprido seu destino. Essa parte ninguém faz e por isso na atualidade há um acumulo de realidades inventadas ao longo das gerações que nos precederam e que fazem enorme pressão enquanto esperam pela sua libertação.

Porém, como agora o Universo não pode esperar, este é um momento em que a história dá um salto qualitativo, se encontra em desenvolvimento o processo de dar fim de uma tacada só aos milhares de realidades que não precisam continuar existindo neste planeta Terra.

Tudo isso parece difícil demais para entender? Pois então observe sua própria existência e veja o quanto as realidades com as quais você não se identifica mais pressionam sua alma para que lhes dê fim através de decisões concretas e atitudes corajosas.

 

Próximo boletim será publicado às 17h35 de 10/8/11

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.