Valorize a subjetividade

Oscar Quiroga

01 de fevereiro de 2012 | 02h28

1-2-12 – quarta-feira – Das 2h28 até 17h07, horário de verão de Brasília, a Lua quarto crescente de Touro está em quadratura com Netuno.

Sem a força dos ideais e sem os humanos que em todas as épocas se consagraram a realizá-los, a despeito de terem sido e ainda serem incompreendidos por isso, nossa espécie ainda seria um aglomerado de brutos tremendo de medo perante as forças da natureza.

Nós somos entidades cósmicas criativas, somos capazes de ver o que ainda não existe concretamente e de nos esforçar para transformar as idéias em obras.

Por isso é surpreendente que da Revolução Industrial para cá, questão de apenas um pouco mais de 150 anos, a civilização tenha adotado uma inflexão mental mediante a qual se permite desvalorizar a subjetividade e tratá-la como algo inferior.

Ora! Sem a subjetividade a própria Revolução Industrial teria sido impossível!

O resgate da subjetividade e da proporção de seu verdadeiro valor é algo que está em andamento, pois anulá-la seria o mesmo que anular a função real de nossa humanidade, a função que cumprimos no Universo e, sem essa, o que poderíamos ser?

Quando os sonhos ou devaneios tomarem conta de sua consciência, em vez de lutar e se convencer de que nada disso deva ser levado a sério, faça diferente, use o poder de discernimento para comprovar que não está viajando na maionese e, a seguir, anote as idéias para nas semanas seguintes se dedicar com afinco a realizá-las.

Próximo boletim será publicado às 17h07 de 1/2/12

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: