Tu és o ardor de teu coração

Tu és o ardor de teu coração

Oscar Quiroga

28 de maio de 2014 | 01h47

 

À 1h47 de quarta-feira 28-5-14 a Lua ingressou em Gêmeos para cumprir sua fase NOVA em quadratura com Netuno, trígono com Marte e sextil com Urano até 6h59 de quinta-feira 29-5-14, horário de Brasília. No mesmo período, Sol e Netuno em quadratura, Vênus ingressa em Touro.

Tu és aquilo pelo qual teu coração arde de vontade de realizar, independente de te frustrares ou regozijares nesse caminho.

Te dirão que Tu serás as circunstâncias em que existires, mas esse é um equívoco disseminado na civilização, transformado em provérbio e repetido à exaustão para transformá-lo em inadvertida normalidade. Isso te fará identificar as circunstâncias em que tua presença está inserida e te convencer que essa é tua identidade, que esse és Tu.

Contudo, Tu não és as circunstâncias, Tu és o que fazes com as circunstâncias, e o que farás com as circunstâncias está inextricavelmente vinculado àquilo que faz teu coração arder de vontade de realizar.

Teus dilemas são apenas dilemas, no frigir dos ovos só importa o que fazes, independente de te frustrares pelo fracasso ou te regozijares com a vitória.

Aí pensarás que Eu te digo que o que vale é a intenção, mas não é nada disso. O que te digo é que teu valor se medirá por te atreveres a colocar em marcha tua intenção, te desapegando dos resultados, porque, convenhamos, nem sempre se ganha, mas tampouco se perde o tempo inteiro.

Considera esse ardor íntimo a expressão de teu ser e, também, considera tua existência uma oportunidade para expressar esse ardor.

Tu és esse ardor íntimo, Tu não viverias sem esse, é como tua respiração, podes suspendê-la temporariamente, mas em algum momento essa será mais forte do que tua vontade de suspendê-la e implodirás numa inspiração longa, profunda e demorada, para contrabalançar o tempo em que tinhas decidido suspendê-la.

Assim mesmo é com teu ardor interior, podes suspendê-lo intencional ou inadvertidamente, mas em algum momento te depararás com a impossibilidade de continuar existindo sem esse, e teu destino implodirá numa busca frenética de experiências que nutra esse ardor, sem o qual não poderias ser quem Tu verdadeiramente és.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: