Soberba às avessas

Soberba às avessas

Oscar Quiroga

08 de maio de 2013 | 07h10

Às 7h10 de quarta-feira 8-5-13 a Lua quase Nova ingressou em Touro e está em sextil com Netuno, oposição a Saturno, trígono com Plutão e conjunção com Marte até 10h52 de quinta-feira 9-5-13, horário de Brasília.

Se você pensa que a sua dose de adversidades passou da conta e que deve haver uma espécie de conspiração, senão trabalho de Macumba, contra você, saiba que isso se deve a uma espécie muito estranha, porém, bastante comum, de soberba às avessas.

É só olhar com atenção aos seus semelhantes para verificar que nada está fácil para ninguém, e que não há conspiração nenhuma, assim como também os casos de trabalhos de Macumba para amarrar negativamente as pessoas são casos isolados apenas, não depõem favoravelmente a respeito do trabalho dessa religião.

Uma vez verificado isso, verifique também a verdadeira origem de sua sensação, pois essa não passa de algo assim como, lá no fundo, pensar que seu sofrimento em particular deva ser maior e melhor do que o de seus semelhantes. Soberba às avessas, essa é a origem do pensamento de que se acontece comigo, é porque deve ser especial, o máximo.

Sinto informar que é comum, o labirinto ficou retorcido e intrincado para todos, porque todos nos metemos nesse pelo nosso próprio empenho de ir buscar longe o que sempre esteve ao nosso alcance e, uma vez longe, reconhecendo intimamente termos errado em nossas decisões, mas nos contorcendo argumentativamente para não reconhecê-lo nem confessá-lo a nós mesmos, restou-nos a tola idéia de que algo de especial deveria haver em nossa sensação de estarmos perdidos nesse labirinto.

Um labirinto do qual emergiremos só quando o tornarmos irrelevante e o tratarmos com a indiferença que merece, sem cairmos na sedução que esse nos estende.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.