Será fácil enlouquecer

Oscar Quiroga

15 de agosto de 2011 | 05h22

 

Das 5h22 de segunda-feira 15-8-11 até 21h03 de terça-feira 16-8-11, horário de Brasília, a Lua que míngua em Peixes está VAZIA. No mesmo período, Sol e Mercúrio estão em conjunção com Vênus.

 

Das duas uma, ou você enlouquece junto com o mundo e, caíndo na armadilha da ansiedade, se dedica ativamente a cometer trapalhadas cujas consequências ninguém seria capaz de prever; ou você mede o tempo com uma régua mais sábia e permite que a intuição guie seus passos e atitudes, concedendo a si mesmo a possibilidade de que, dentre todas as alternativas, a melhor atitude seja relaxar e despreocupar-se enquanto o mundo continua seu inexorável curso de decadência e agonia.

Todos os vínculos, e olha que não são poucos, que você tem estabelecidos com esse mundo em agonia, chamarão você a se alimentar com o amargo nutriente da ansiedade e, por isso, você se verá instado a tomar as piores decisões possíveis, pensando, é claro, que sejam as melhores.

A armadilha consiste em pensar em segurança, cujo argumento sempre parecerá sensato e o melhor de todos. Porém, pense, como estabelecer qualquer tipo de segurança no estado atual do mundo? É a mesma coisa que pretender segurança quando se está no epicentro de um terremoto devastador.

O que seria melhor fazer nessa hora? Em primeiro lugar se dirigir ao Altíssimo em busca de inspiração. Em segundo lugar resistir o menos possível aos trancos e solavancos que o mundo produz, pois agora seria melhor ter ginga e flexibilidade do que estar preso a uma estrutura blindada e pesada que, claro, foi montada pensando em segurança.

Agora, mais do que nunca, é propício se fazer a seguinte pergunta todos os dias, várias vezes ao dia: O que é realmente importante?

A escala de importância e valores está em franca mutação e você se salvará na mesma medida em que acertar a verdadeira importância das coisas e relacionamentos.

Tudo feito com alegria e espírito despreocupado.

 

Próximo boletim será publicado às 21h03 de 16/8/11

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: