Seguro contra catástrofe

Oscar Quiroga

20 de dezembro de 2011 | 08h34

Às 8h34 de terça-feira 20-12-11 a Lua que míngua ingressou em Escorpião e permanece em oposição a Júpiter e sextil com Plutão e Marte até 12h57 de quarta-feira 21-12-11, horário de verão de Brasília. No mesmo período, Vênus ingressa em Aquário e está em quadratura com Júpiter.

Depois de um ano insano como foi 2011, com a alma de nossa humanidade bombardeada de forma incessante com péssimas notícias a respeito do futuro do dinheiro no mundo, não seria surpreendente notar que o velho impulso de se dar bem se tornasse reforçado, desmedido, despudorado e, principalmente, íntimo com a ilegalidade.

Porém, assim como não se pode acelerar o curso do rio tampouco se poderia criar condições positivas na economia local de um país a despeito do que acontece com o resto, isso não passa de uma ilusão perigosa.

O mesmo se aplica aos indivíduos, não há como se dar bem quando o mundo afunda, isso é tão ilusório como pretender ficar seco quando o barco afunda e não há terra à vista.

Há uma catástrofe em andamento e a forma de se proteger dela não se processa na mesma direção de outrora, fazendo investimentos, acumulando dinheiro, etc.

A proteção consiste em concentrar a mente nos valores subjetivos, eternos e universais, aqueles que serviriam para seu bem-estar, independente de você se encontrar no meio da cidade de Nova Iorque com muito dinheiro no bolso ou no coração da África selvagem sem um tostão no bolso.

O grande valor da atualidade não se mede mais em dinheiro, essa ilusão está se desintegrando e não lhe resta muito tempo de sobrevida. O grande valor eterno, imutável e universal se apoia nos princípios espirituais que nossa humanidade desconsiderou durante tanto tempo que se acostumou com a idéia de que, talvez, não passavam de ilusões.

Assim, convencida de que a ilusão era real e de que a realidade era um devaneio, chegou aos dias de hoje e precisa administrar a catástrofe global que vem por aí.

Próximo boletim será publicado às 12h57 de 21/12/11

Tudo o que sabemos sobre:

Lua em EscorpiãoLua míngua

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.