Questionamentos necessários

Questionamentos necessários

Oscar Quiroga

21 de novembro de 2013 | 05h20

 

Das 5h20 de quinta-feira 21-11-13 até 5h11 de sexta-feira 22-11-13, horário de verão de Brasília, a Lua que míngua em Câncer está em trígono com Mercúrio, oposição a Vênus, trígono com Saturno, conjunção com Júpiter e sextil com Marte. No mesmo período, Sol ingressa em Sagitário.

Até quando vais ocultar teu medo de pedir perdão pelos erros que cometes atrás de uma cortina de fúria, de ataques de nervos em que perdes a cabeça e dizes palavras das quais deverias te arrepender? Porém, de novo, teu temor de pedir perdão surge e bloqueia a possibilidade de dar um fim ao circuito viciado em que uma cortina de fúria se concatena a outra indefinidamente.

Até quando vais continuar cuidando das tuas mentiras de estimação, aquelas que servem para tratar as pessoas próximas como tolas que manipulas de acordo com os interesses particulares que continuas suprindo e satisfazendo?

Bem, não penses que estou aqui para te dar um sermão e que me coloco numa posição moralmente superior a ti. Nada disso! O que fazes não é novo, é um equívoco transmitido ao longo de milhares de gerações e que não é mais questionado.

As perguntas que te fiz não são sermões, são inícios de questionamentos que nossa humanidade precisa fazer para superar vícios e equívocos que limitam nossa capacidade de ser felizes, de prosperar, de fazer bem àqueles que amamos, mas que sempre deixamos de lado, já que preferimos amar mais nossas mentiras e nossos temores do que nos entregarmos ao complexo jogo do relacionamento sincero, aberto, franco e transparente.

Afinal, Tu queres ser feliz? Ou esse querer é apenas uma carta de intenção, uma abstração teórica que nunca foi experimentada através do atrevimento?

Vais passar a vida inteira com a alma aprisionada em tuas argumentações, tuas justificativas?

Em algum momento de teu processo de ser feliz terás de desmontar, superando o temor que isso provocar, para constatar que o que desmonta não és Tu, mas a prisão que impedia que Tu fosses o Eu verdadeiro que podes ser.

Porém, tudo que aqui está escrito é apenas mais um dos tantos incentivos que recebes para adentrares no terreno de ter confiança absoluta na Vida e a ela te entregares sem reserva.

Um incentivo apenas, Tu terás de lutar contra teus demônios interiores que te impedem tomar as sagradas decisões de te converteres na verdadeira alma que Tu és.

Em cada solitário instante terás de continuar essa luta.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: