Porque buscas, existes

Porque buscas, existes

Oscar Quiroga

26 de novembro de 2013 | 05h57

 

Das 5h57 de terça-feira 26-11-13 até 9h45 de quarta-feira 27-11-13, horário de verão de Brasília, a Lua quarto minguante de Virgem está em sextil com Saturno, Mercúrio e Júpiter, trígono com Vênus e conjunção com Marte.

Como sabes que existes e não sonhas que existes?

Pensas, logo existes? Isso é muito pouco para comprovar tua existência, afinal, pensas também quando dormes? E se não pensas, isso significa que não existes quando dormes?

Como reconhecer essa alma interior que Tu sabes ser, mas que elude tuas tentativas de defini-la?

A primeira prova que tens a respeito de tua própria alma é tua busca dela mesma, a consciência que te permite a própria busca.

A segunda prova que tens é a proteção infinita a essa busca, que apesar de todas as constatações dolorosas e gozosas, nunca desiste, continua buscando.

A terceira prova que tens é a vontade de continuar conhecendo, de ampliar teus horizontes.

A quarta prova é que desejas e teus desejos te fornecem combustível para experimentares.

E a quinta e maior prova que tens a respeito de tua própria alma é que és livre para fazer o que quiseres, e se não fazes tudo que quiseres, isso também é prova de tua liberdade, que a utilizas para limitá-la.

E se nada disso te satisfaz a respeito da realidade do ser interior que és, sonha então que não és e que não existes, até isso tua alma é capaz de fazer.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: