Palavra curta, dimensão ampla

Palavra curta, dimensão ampla

Oscar Quiroga

13 de junho de 2013 | 02h04

 

Das 2h04 de quinta-feira 13-6-13 até 8h15 de sexta-feira 14-6-13, horário de Brasília, a Lua que cresce em Leão está em sextil com Sol e Júpiter.

As palavras que definem conceitos de maior transcendência e enorme significado são, geralmente, muito curtas. Lei, sexo, Eu e por aí vai a lista.

A palavra Eu, por exemplo, tem apenas duas letras, mas sua abrangência é enorme.

Comumente nos acostumamos a jogar toda a culpa dos erros e pecados ao Eu, porém, seria melhor começar a fazer amizade com o Eu, porque sem ele, ou ela, não seria possível construir a necessária solução de continuidade que garante, sem ir mais longe, que despertemos todos os dias e possamos lembrar o que fizemos ontem e esperar pelo que faremos depois. Sem o Eu teríamos de recomeçar tudo todos os dias, sem memória nem expectativas.

Sim, logo alguém dirá que isso seria melhor, porém, não é verdade, essa é apenas uma afirmação de quem continua achando que todos os erros e pecados resultam do Eu.

Todos os Eus são potencialmente cientes do conjunto maior a que pertencem, o Universo Infinito. O problema não é o Eu, é a rebeldia do Eu, essa sim um problema.

A rebeldia do Eu consiste em desviar constantemente os recursos do Infinito Universo, reservando algo para si e nada para ser distribuído.

Todos os Eus são feitos para multiplicar a glória do Universo, distribuindo graças onde estiverem.

Porém, a rebeldia nos torna corruptos e corruptores, sempre desviando recursos para acumulá-los onde não possam ser distribuídos e compartilhados, diminuindo assim as graças que circulam e empobrecendo com nossas presenças o ambiente.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.