Paixão

Paixão

Oscar Quiroga

17 de dezembro de 2013 | 16h18

 

Às 16h18 de terça-feira 17-12-13 a Lua ainda CHEIA ingressou em Câncer e está em trígono com Netuno, quadratura com Marte e Urano, oposição a Plutão até 13h59 de quarta-feira 18-12-13, horário de verão de Brasília.

Desafortunadamente para os que a desejam, a paixão só acontece quando quer, e não quando nossa humanidade a deseja.

Aliás, quanto mais nossa humanidade deseja a paixão, mais ela fica com a saudade a tentar preencher esse vazio.

Paixão é um dos raros momentos de perfeição disponíveis ao ser humano; paixão é quando a alma não é atormentada por dúvidas ou dilemas, quando se entrega com absoluta confiança ao ser amado, ou mesmo a uma causa que achar nobre o suficiente para lhe envolver o coração.

De todo modo, e para alegria dos saudosos, há períodos em que a paixão, sempre maior do que nossa humanidade, parece fluir com mais intensidade através de olhares, gestos e flertes.

A paixão não é algo que se possa possuir, ela não é de ninguém, a paixão é uma potência cosmogônica que cada ser humano pode, ou não, sintonizar, um processo de grande complexidade, já que lhe é inerente uma alteridade, ou seja, você só pode sintonizá-la se houver outra alma disposta a fazê-lo junto com você.

Apaixonar-se, por isso, é muito fácil, difícil é encontrar alguém que se disponha a iniciar esse processo junto com você e, ainda mais difícil, que se disponha a sustentá-lo por tempo indeterminado.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: