Ou é para todos ou não é para ninguém

Ou é para todos ou não é para ninguém

Oscar Quiroga

10 de março de 2013 | 03h20

Às 3h20 de domingo 10-3-13 a Lua que míngua ingressou em Peixes e está em conjunção com Netuno e Mercúrio, quadratura com Júpiter até 18h39, horário de Brasília.

Hora de renovar o desejo de bem-estar e progresso, porque apesar de todas as adversidades e bizarrices que circulam à solta nos relacionamentos humanos, criando, pelo somatório, a impressão de que bem-estar e progresso não seriam para todo mundo, mas para poucos escolhidos ou para todos os oprimidos, sempre em doses de exclusividade, nunca para todos; na verdade, ou o bem-estar e progresso é para todos ou não é para ninguém.

Agora, não comece você a imaginar que bem-estar e progresso dependam de certo nível, e que só a partir desse se poderia declarar haver bem-estar e progresso.

Os padrões de valor da civilização são passageiros, o sentido de progresso que você experimenta hoje em dia só tem em comum com o de outros tempos a sensação, porque a forma, instrumentos e oportunidade são diferentes.

Então, o que é progresso?

Certamente temos de começar pela liberdade, não pode haver progresso se o governo, seus vizinhos ou mesmo seus familiares cerceiam sua liberdade. Em segundo lugar temos de declarar que sua sagrada liberdade não habilita você a sair por aí ofendendo ou fazendo mal às pessoas, isso não é liberdade, é abuso.

Uma vez assentada a idéia de a liberdade ser básica para o progresso, você precisa, então, começar seus movimentos e investigações, persistindo em avançar além da representação em dinheiro. Sua presença há de progredir em comunicação, linguagem, visão de mundo, charme e todos os aspectos brilhantes que são inerentes ao ser humano.

Tudo isso sem se ater a padrões pré-estabelecidos, mas sobre o princípio da liberdade, exercer seu direito de criar suas formas, desde que não sejam ofensivas ou façam mal intencionalmente aos semelhantes.

A lista poderia ser infinitamente maior, a explicação também, mas só isso deve bastar para você começar a entender que apesar de o bem-estar e progresso serem direitos inalienáveis da humanidade, mas só a liberdade tem a chave, de onde a única garantia de chegarmos a resultados é nos empenhando dia a dia na empreitada.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: