O topo do mundo

Oscar Quiroga

05 de setembro de 2011 | 23h05

 

Às 23h05 de segunda-feira 5-9-11 a Lua quarto crescente ingressou em Capricórnio e está em quadratura com Urano, conjunção com Plutão e trígono com Júpiter até 17h49 de terça-feira 6-9-11, horário de Brasília.

O topo do mundo, símbolo de todas as ambições, desejos e cobiças, pano de fundo e motivo principal de guerras, discórdias e também de acordos de duvidosa reputação; o topo do mundo é um lugar subjetivo, uma condição que precipita na mente humana o momento mais crucial da evolução disponível a nossa humanidade.

O topo do mundo é a conquista que oferece a visão do céu e do inferno, a glória possível e também o resultado de todos os erros cometidos e a consequente (mas dificilmente assumida responsabilidade) obrigação de redimi-los.

Por isso mesmo o topo do mundo é uma condição que não raramente enlouquece quem a ele chegar sem a devida purificação, a que garantiria manter a cabeça no lugar enquanto se contempla vividamente o paradoxo.

O topo do mundo, falando agora do ponto de vista mundano mesmo, é na atualidade o pior lugar ou condição onde se localizar, pois a glória possível ficou completamente eclipsada pelo pior inferno que se poderia imaginar; se chegou ao momento em que avançar é perigoso, recuar é mais perigoso ainda e nem sequer andar de lado como caranguejos serviria para aliviar a situação.

Que ninguém queira estar no lugar daqueles que se investiram com o poder de estar no topo do mundo, é o pior lugar para se estar na atualidade.

Na prática e por isso, faça deste momento um de verdadeira humildade, abandonando por enquanto suas ambições.

 

Próximo boletim será publicado às 17h49 de 6/9/11

 

Tudo o que sabemos sobre:

Lua em CapricórnioQuirogaSincronia

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: