O mundo somos nós

O mundo somos nós

Oscar Quiroga

10 de agosto de 2013 | 10h09

 

Às 10h09 de sábado 10-8-13 a Lua que cresce ingressou em Libra e está em sextil com Mercúrio, quadratura com Plutão e Júpiter, e oposição a Urano até 8h59 de domingo 11-8-13, horário de Brasília. No mesmo período, Mercúrio e Netuno em quincunce.

E você, que fica questionando a razão de o mundo não mudar na mesma velocidade dos desejos da maioria, já questionou a razão de cada de um de nós em particular não dar a machadada radical que separaria o passado de nosso futuro?

O mundo é o somatório do que cada ser humano fizer ou deixar de fazer, simples assim.

Para que o mundo se transforme na mesma velocidade pretendida, cada um de nós precisa acelerar também o desgarramento do passado, vivendo menos de memórias e mais das perspectivas que intuitivamente definimos, daquele futuro que sabemos desejável, mas que quando chega a hora de realizá-lo nos acomete uma preguiça dos diabos, literalmente falando.

O mundo também é feito de uma complexa trama de relacionamentos, onde poucas verdades os fundamentam e muitas simulações os estruturam.

Cada um de nós tem algo a fazer nessa dimensão, menos simulações e mais verdades, que não têm nada de relativas, apenas levar a sério aquele primeiro pensamento que apesar de fugaz logo é avassalado por uma tonelada de argumentações que só servem para ocultar a verdadeira razão dos conflitos em andamento.

Por que estacionamos em relacionamentos que não dão certo? Para melhorá-los? Na melhor das hipóteses é isso aí, porém, na pior dessas é um mero estacionamento, ou para esperar que surja algo melhor e aí descartá-los, ou porque nos dá, novamente, uma preguiça dos diabos, literalmente falando.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.