O mundo não é a miragem do mundo

O mundo não é a miragem do mundo

Oscar Quiroga

18 de setembro de 2012 | 11h47

Às 11h47 de terça-feira 18-9-12 a Lua que cresce ingressou em Escorpião e está em trígono com Netuno, sextil com Plutão e quadratura com Vênus até 11h29 de quarta-feira 19-9-12, horário de Brasília. No mesmo período, Urano e Plutão estão em quadratura.

O mundo não são os governos, o mundo não são as grandes corporações, o mundo não são as ideologias, o mundo não são as religiões nem tantos outros que concentram a atenção dos noticiários. Esses são apenas aqueles que pretendem dominar o mundo, tal qual os eternos vilões que aparecem em todos os filmes e literaturas, os que sonham em identificar o mundo com eles mesmos, os que se convencem de que o mundo começou com suas presenças e que certamente terminará com seus falecimentos (situação da qual esperam um dia se livrar, porque corrompe suas pretensões).

Por isso, se você acha que estamos no fim do mundo porque corporações vão à falência, porque bancos representativos da riqueza mundial se tornam insolventes, porque as religiões estão longe de seus ideais originais ou porque governos poderosos não apitam mais nada, descanse, respire fundo, você está navegando na maionese, você confiou todo o poder de sua fé aos noticiários e passou a acreditar ingenuamente numa visão de mundo que é apenas uma miragem. Uma miragem muito bem estruturada, diga-se de passagem, mas apenas uma miragem.

O mundo é o que você vive na sua intimidade, os desejos inconfessos e as atitudes reais que você toma para com as pessoas mais próximas. Esse é o mundo, pois o grande mundo que parece inatingível, maior do que você, nada mais é do que o somatório do que na intimidade cada ser humano pensar, sentir e fazer.

A realidade do fim do mundo consiste em que essa intimidade deu uma guinada de resultados infalíveis, produzindo efeitos até pouco tempo atrás inimagináveis.

Contemplem, então, o fausto e a glória do que parecia inatingível cair fazendo estrondo assustador, porém, que na prática trará alívio e esperança.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.