O exílio que não é

O exílio que não é

Oscar Quiroga

10 de abril de 2014 | 19h08

 

Às 19h08 de quinta-feira 10-4-14 a Lua que cresce ingressou em Virgem e está em oposição a Vênus e Netuno, trígono com Plutão e sextil com Saturno até 14h12 de sábado 12-4-14, horário de Brasília. No mesmo período, Vênus e Netuno em conjunção.

Te encanta o Universo, as imagens do infinito e seu caldeirão de estrelas te regozija, e diante dessas magnitudes preferes, com falsa humildade, pensar que és uma poeira.

Não sabes que as galáxias também são poeira diante da magnificência e glória da inteligência que criou os deuses?

Sua presença permeia e compenetra o Universo inteiro, pequenos e grandes se igualam formando um só corpo cósmico.

Por isso, não te exaltes nem tampouco te diminuas, não te faz bem que te convenças de que o Universo seja lá longe nas estrelas e que tua presença esteja exilada.

Te inclui no Universo, isso fará com que até o ato de escovar os dentes seja grandioso.

Artistas arrancaram maravilhas de pedaços de pedra, músicos tangeram as cordas e dessas saiu música sublime, isso só foi possível, e ainda o é, porque o humano se autoriza a ser como a inteligência que compenetra o Universo inteiro, lhe brindando com sustentação e ordem contínua, em vida eterna.

Sim! Te parece que a vida não seja eterna? Os componentes de teu corpo são indestrutíveis, porém, tua forma um dia se desintegra porque ainda não está convencida de sua eternidade, é imperfeita, corruptível e só é assim porque pensa que está exilada da maravilha.

Teu exílio durará tanto quanto o pensares. Para superá-lo precisas ser firme e persistente, a inércia do convencimento equivocado é, ainda, mais sólida do que tua vontade de superá-la.

De vez em quando, como agora, sopra um vento sublime para te atualizar a consciência de quem Tu verdadeiramente és.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.