O ciclo da injúria não é eterno

O ciclo da injúria não é eterno

Oscar Quiroga

03 de setembro de 2012 | 06h57

Das 6h57 de segunda-feira 3-9-12 até 8h07 de terça-feira 4-9-12, horário de Brasília, a Lua que míngua em Áries está em oposição a Saturno e quadratura com Vênus. No mesmo período, Marte em sextil com Plutão e quincunce com Urano.

O ciclo de injúria e dificuldades é longo, mas não eterno. Porém, só vai acabar mesmo com cada um de nós exorcizando a injúria e dificuldades que nós mesmos colocamos em marcha. Afinal, o mundo é o que é por um somatório de comissões e omissões também.

Por isso, não se assuste com as ondas da vida que fazem retornar ao seu quintal uma série de limitações e árduas dificuldades que você queria ver pelas costas. Inicialmente você pode especular que não tem nada a ver com essas, que são totalmente impostas, porém, dê um voto de confiança ao mistério da vida, se essas coisas acontecem a você é porque você tem algo a ver com elas sim! Não num sentido restrito de culpa, mas de SINCRONIA que coloca você na posição de responsável por fazer algo novo e libertador em relação a essa série de dificuldades limitantes.

Todos adoram imaginar-se guerreiros da luz, essa imaginação lhes confere dignidade. Pois bem, a dignidade dos guerreiros da luz consiste em nunca se absterem de lutar contra as indignidades, desempenhando a tarefa com equanimidade e espírito humilde, sempre prontos para outra e outra e outra e outra e outra, incansavelmente.

Cansar não é uma opção, descansar menos ainda. O acumulo de limitações fala claramente à consciência, é imprescindível pegar o mundo pelo pescoço, esganá-lo até perder o sentido e só então soprar-lhe um novo alento para que as futuras gerações encontrem um lugar no qual o senso de prosperidade e justiça circulem com soltura.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.