Mudando o passado

Mudando o passado

Oscar Quiroga

11 de dezembro de 2013 | 04h19

 

Das 4h19 de quarta-feira 11-12-13 até 13h38 de quinta-feira 12-12-13, horário de verão de Brasília, a Lua que cresce em Áries está em quadratura com Plutão, Júpiter e Vênus.

Aceitando-se que as pessoas são livres e capazes de mudar seus destinos, por que será, então, que nossa humanidade insiste em julgar e classificar seus semelhantes de acordo com seus passados?

Por acaso um ser humano é nada além do que o resultado de seu passado, da influência do meio ambiente, do que comeu durante sua infância, de sua educação?

E onde está, por ventura, a contribuição que fazemos a esse processo?

Apesar de ser ponto pacífico aceitar que nenhum ser humano nasce uma “tabula rasa” na qual as influências exteriores escrevem o destino, até hoje a dinâmica dos relacionamentos sociais continua reproduzindo de forma inquestionada o equívoco de se afirmar que o ser humano é produto do seu meio ambiente.

Acontece que o ser humano é um produtor de meio ambiente também, para o bem e para o mal; nossa humanidade perpetra crimes, mas também exalta o planeta com suas criações.

Estas afirmações não são abstratas, em muitos momentos Tu te depararás com estas verdades ao te lamentares estar assim ou assado como resultado dos traumas que sofreste no passado. Onde estava tua alma nesse momento? Onde está tua alma agora?

Os fatos do passado podem ser mudados, porque são versões, não são mais fatos. Essas versões podem ser reinventadas contigo assumindo o protagonismo e decidindo o que fazer com o que te aconteceu, com o que te acontece.

Afinal, as coisas não acontecem, és Tu que aconteces.

Quando fores tentar entender teu destino, começa por tentar entender que tipo de acontecimento és Tu entre o céu e a terra.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.